NOVA ALVORADA CONVÊNIO UNIGRAN

MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

quarta, 20 de novembro de 2019

ALTA

Preço médio do cafezinho subiu 75% no Centro-Oeste, diz pesquisa

Análise de indicadores da Pesquisa +Valor mostra que o gasto médio do trabalhador com o cafezinho pós-almoço supera em 40 pontos percentuais o reajuste sofrido pela refeição no período

Por: REDAÇÃO08/11/2019 às 16:06
ComentarCompartilhar
Foto: Divulgação

Uma xícara da bebida mais conhecida no mundo e consumida por nove entre dez brasileiros acima de quinze anos, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), ficou 75% mais cara no Centro-Oeste do País, nos últimos cinco anos. É o que aponta o levantamento da Ticket, marca pioneira no setor de benefícios de refeição e alimentação da Edenred Brasil, com base nos indicadores da Pesquisa +Valor.

Na prática, o preço pago por aquele agradável momento pós-almoço passou de R$ 2,48, em 2014, para R$ 4,35, em 2018. A variação percentual no custo do tradicional cafezinho, no Centro-Oeste, é a maior registrada entre as regiões brasileiras. No cenário nacional, o aumento registrado foi de 42%, com o custo passando de R$ 2,39 para R$ 3,40.

O incremento no custo supera o registrado pelo preço médio da refeição, no mesmo intervaloIsso porque, como commodity, o café tem seu valor ditado por cotação estabelecida pela Bolsa de Valores de Nova York, um ambiente volátil, que influencia a tarifa dos produtos tanto no mercado físico quanto no futuro. Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE evidencia a trajetória dos preços relativos à alimentos e serviços ao consumidor final e é o principal indicador para a taxa de inflação no País.

De acordo com o levantamento da Ticket, o gasto médio do trabalhador com o cafezinho supera em 40 pontos percentuais (p.p.) o reajuste sofrido pela refeição no período -- que teve incremento de 35% - passando de R$ 26,09, em 2014, para R$ 35,16, em 2018.

A menor variação, no entanto, ocorreu no Nordeste, onde o incremento no custo foi de 35%, passando de R$ 2,62 para R$ 3,54. A variação é 14 p.p. maior que o reajuste aplicado ao preço médio da refeição, registrado em 21% - que passou de R$ 26,98 para R$ 32,66.

“Há mais de 40 anos, a Ticket mantém-se comprometida com iniciativas que visam o bem-estar e a melhora da qualidade de vida e saúde dos trabalhadores. Neste sentido, a Pesquisa +Valor, realizada com mais de 4 mil estabelecimentos em todo o País para medir o preço médio da refeição fora do lar, visa oferecer subsídios às empresas para que possam avaliar o valor do benefício que oferecem a seus empregados, tornando-se uma ferramenta que pode contribuir para a introdução da nutrição
equilibrada e de outros hábitos saudáveis no dia a dia dos trabalhadores”, avalia Felipe Gomes, Diretor-Geral da Ticket.

Deixe seu Comentário

TV MS

19 de novembro de 2019
Recapeamento na região do Imbirussu na Capital

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma