REVIVA PMCG COMPET

MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

SEGOV GUERRA CONTRA O MOSQUITO AGILITÁ
sbado, 07 de dezembro de 2019

Hospital

Em Brasília, secretário articula recursos para Hospital da Mulher e da Criança de Dourados

Bancada federal deverá viabilizar, por meio de emenda, R$ 6,8 milhões que ainda faltam para custeio da primeira etapa, orçada em R$ 36,4 milhões; R$ 29,5 milhões já estão garantidos

Por: Ricardo Minella12/11/2019 às 17:52
ComentarCompartilhar

Com 60% das obras executadas, a primeira etapa da construção do Hospital da Mulher e da Criança em Dourados deverá ser entregue em maio de 2020. Para tanto, já foram empenhados recursos federais da ordem de R$ 24,5 milhões, de um total de R$ 36,4 milhões orçados para custear o projeto nesta primeira fase.  A Ebserh assumiu o compromisso de empenhar mais R$ 5 milhões, totalizando R$ 29,5 milhões garantidos. Com isso ficam faltando R$ 6,8 milhões para completar o valor necessário.

Para viabilizar os recursos que faltam à primeira etapa do projeto, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, esteve no último dia 29 em Brasília, em reunião na Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), que administra o Hospital Universitário (HU) da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados). Foi nesse encontro que a Ebserh assumiu o compromisso de empenhar mais R$ 5 milhões e Geraldo Resende se comprometeu em articular para conseguir o restante (R$ 6,8 milhões) junto à bancada de Mato Grosso do Sul no Congresso.

Estamos empenhados, junto com a Ebserh, na viabilização dos recursos para que as obras de construção da primeira etapa do Hospital da Mulher e da Criança não sofram nenhum processo de paralisação. Já estivemos por três vezes na Ebserh manifestando essa preocupação”, explica o secretário.

Além de Geraldo Resende, participaram do encontro o presidente da Ebserh, General Oswaldo de Jesus Ferreira; o vice-presidente Eduardo Chaves Vieira; o procurador de Mato Grosso do Sul Leonardo Campos Soares da Fonseca, a auditora de Mato Grosso do Sul, Denise Lucena, e a chefe de gabinete da Ebserh, Iara Guerra.

Na primeira etapa, que poderá entrar em funcionamento logo após a conclusão dos trabalhos, o Hospital da Mulher e da Criança vai ofertar 55 leitos e serviços de pronto-atendimento pediátrico, pronto-atendimento obstétrico, alojamento conjunto da maternidade, Centro de Parto Normal com cinco quartos PPP (Pré-parto, Parto e Pós-parto), Centro Obstétrico com quatro salas cirúrgicas, Ambulatório Pré-Natal de Alto Risco, além de estruturas de apoio, como sala de plantão, área de apoio a Ensino e Pesquisa, brinquedoteca e área de convivência, com café e recepção geral. Segundo Geraldo Resende, a Ebserh deverá, até a conclusão, trabalhar na viabilização dos equipamentos necessários.

 Segunda etapa

A segunda etapa do Hospital da Mulher e da Criança está orçada em R$ 21 milhões. Para tanto, a partir de articulações de Geraldo Resende, a bancada federal apresentou uma emenda impositiva (de pagamento obrigatório) no valor de R$ 10 milhões, inserida no Orçamento Geral da União/2019 sob a rubrica RP-7. Quando esses recursos forem empenhados, a Ebserh já poderá iniciar o processo licitatório da nova fase da construção.

A mesma emenda de bancada, sob a rubrica RP-2 (de pagamento discricionário) prevê outros R$ 20 milhões, oriundos de recursos de programação da Ebert, os quais requerem gestões políticas para liberação. “Esses valores, caso realmente sejam efetivados, possibilitarão o término da segunda etapa e a compra de alguns equipamentos”, prevê o secretário de Saúde.

Na segunda etapa, serão construídos 3.304,42 metros quadrados, consistindo em uma estrutura que vai abrigar mais 80 leitos distribuídos entre as Unidades de Terapia Intensiva (Úteis) Pediátrica e Neonatal, Unidades de Cuidados Intermediários (Lis), além de estruturas de apoio, como Banco de Leite Humano, Ambulatório Segmento Recém-nascido, plantão e apoio ao Ensino e à Pesquisa.

“O Hospital da Mulher e da Criança de Dourados, que está sendo construída em área anexa ao HU/UFGD, será a maior unidade materno-infantil de Mato Grosso do Sul. O objetivo, desde o início desta luta, é ofertar mais qualidade no acolhimento às gestantes, evitar superlotações e oportunizar residências médicas e para os demais profissionais de saúde materno-infantil, além de enfermagem obstétrica”, conclui Geraldo Resende.

 

Deixe seu Comentário

TV MS

05 de dezembro de 2019
Sete bairros da Capital são beneficiados com entrega de UBS no Alves Pereira 

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma