ALMA DE TODOS ASSEMBLEIA NEOCOM

MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

PRESTAÇÃO DE CONTAS PMCG BARTZ
segunda, 17 de junho de 2019

Acidentalmente

Polícia não acredita que rapaz atirou acidentalmente em criança de 11 anos

Tio será ouvido sobre versão de vingança

Por: Dayene Paz11/06/2019 às 16:56
ComentarCompartilhar
A Polícia Civil continua com as investigação sobre a morte de Luiz Otávio Santana de Lima, de apenas 11 anos, morto com um tiro na tarde de sábado (08) em uma fazenda de Sidrolândia – a 70 km de Campo Grande. O delegado Diego Dantas afirmou que a polícia não acredita na versão dada pelo suspeito, Ivan Alyffer Albuquerque Rocha, de 23 anos. “Ele contou que não sabia que a arma estava engatilhada”, afirmou o delegado.
 
O delegado já ouviu oito testemunhas nesta segunda-feira (10), entre familiares e pessoas que estavam no local no dia. Nesta terça-feira (11) outras duas testemunhas serão ouvidas. “Temos mais testemunhas para serem ouvidas e prosseguimos com as investigações”, acrescentou Dantas. A polícia também realizou reconstituição do crime.
 
Sobre a versão da família de Otávio, que afirma que o crime pode ter sido motivados por vingança, o delegado afirmou que o tio do menino será ouvido. “Essa versão foi dada pelo tio, e nenhuma linha de investigação é descartada”, explicou Diego. O tio deve ser ouvido até esta quarta-feira (12).
 
Versão da família
A família acredita que o menino Luiz Otávio foi alvo de um plano premeditado de vingança. De acordo com o tio, o pintor Nilton Vargas Lemes, de 52 anos, o suspeito, Ivan Alyffer jurou se vingar ao ser preso após denúncia de violência doméstica por agressão contra a esposa, prima da vítima.
 
Durante entrevista ao jornal Midiamax, Nilton informou que Ivan chegou a ficar três meses na prisão e que por este motivo pode ter assassinado o menino como forma de atingir a família. “Ele ficou revoltado quando foi preso e disse que iria se vingar”, comentou o tio. Nilton salientou que Ivan teria premeditado tudo. “Ele pediu a arma emprestada, chamou a família para ir para a fazenda e até mesmo arrumou um carro para levar todos, porque sabia o que ia fazer”.
 
Conforme apurado, Ivan chamou Luiz e o irmão de 13 anos para irem caçar jacaré com uma arma artesanal calibre 22. De acordo com Nilton, o sobrinho de 13 anos detalhou que, depois que o trio se afastou da família, Ivan teria sacado a arma e dito para Luiz: “Ajoelha, pede perdão e reza, porque você vai morrer hoje”. Os meninos ficaram em choque e não entenderam a situação, até que Ivan ameaçou novamente e apontou a arma.
 
Neste momento, o irmão fugiu correndo, momento em que ouviu o som de um disparo. Quando ele olhou para trás, viu o suspeito tentando carregar a arma mais uma vez. “Ele [o sobrinho de 13 anos] achou que ia ser morto também, mas a arma demorou demais para ser carregada”, pontuou o tio. A família foi avisada e chegou ao local, onde Luiz estava baleado. O menino teria dito à mãe: “Foi o Ivan que atirou em mim”. E em seguida perguntou: “Será que vou morrer?”.
 
Ele chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital. O tiro atingiu o garoto nas costas e atravessou o abdômen. Ivan foi preso e, em uma de suas versões, disse que foi tentar atirar em um jacaré, quando a vítima entrou na linha de tiro. No entanto, a polícia contesta a versão alegando que sequer havia uma lagoa perto do local onde o crime aconteceu. Nesta segunda-feira, a Justiça decretou a prisão preventiva de Ivan. A família está bastante abalada, especialmente o irmão, que presenciou o ato.
Deixe seu Comentário

TV MS

14 de junho de 2019
Atrizes de espetáculo em cartaz há 19 anos falam dos bastidores

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma