MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

quarta, 13 de novembro de 2019

TROPEÇO ANUNCIADO

Justiça acata MPE e veta renovação de contrato com a Sanesul

MS Notícias levantou suspeita sobre arranjo douradense entre estatal e a prefeitura

Por: REDAÇÃO10/09/2019 às 06:10
ComentarCompartilhar
Foto: Reprodução/Web

Com o título “Sanesul: renovação de contrato milionário gera suspeitas em Dourados”, o MS Notícias publicou na semana passada matéria com questionamentos e suspeitas em torno do processo para renovar a concessão dos serviços de água e esgoto pela Empresa Estadual de Saneamento no município.

Uma das abordagens passíveis de dúvidas e que carecem de esclarecimento, conforme apontava o MS Notícias, é a intenção velada de privatização da estatal, já admitida pelo governo, mas não inscrita nas cláusulas contratuais aprovadas pela Câmara de Vereadores e referendadas pela prefeita Delia Razuk (sem partido), com integral apoio do diretor-presidente da estatal, Walter Carneiro Jr.

O prazo para assinatura e homologação do contrato venceria ontem (segunda-feira, 9). Antes que o ato fosse consumado, a 6ª Vara Cível, por meio do juiz José Domingues Filho, acolheu pedido do Ministério Público Estadual e tomou duas decisões: suspendeu a assinatura do contrato e prorrogou por seis meses a concessão.

Em sua justificativa, o magistrado assinalou que Prefeitura e Sanesul, não atenderam exigências da Lei 11.445/2007, que estabelece diretrizes nacionais para o saneamento básico. Domingues Filho acredita que no período de prorrogação o contrato pode ser atualizado pelas partes, enquanto a população fica com o abastecimento assegurado e não sofre prejuízos.

Incisivo, o magistrado afirmou estar ciente que as irregularidades no contrato “afastam o interesse público, em detrimento de direitos fundamentais básicos dos cidadãos, como um meio ambiente equilibrado, saúde, educação e transporte”. Ele menciona ainda a grave situação financeira do Município, com salários de servidores em atraso e situação precária dos serviços. 

Em resumo, Domingues Filho constatou que o contrato havia sido elaborado às pressas e para ser também votado e aprovado a “toque de caixa” na Câmara, o que efetivamente aconteceu: todos os vereadores, inclusos os membros do chamado G-10 (grupo do bloco oposicionista), votaram a favor da renovação da concessão e endossaram o contrato que acabou detonado pela sentença judicial.

Para garantir um mínimo de credibilidade em operações dessa natureza, o contrato deve ser elaborado em observância com os mandamentos normativos e jurídicos, sobretudo a Lei 11.445/2007. Além disso, com o prazo de renovação fixado em 30 anos e a sombra visível do interesse no lucrativo negócio da privatização.

Afinal de contas, a Sanesul monopoliza o fornecimento de água e esgoto em 68 dos 79 municípios de Mato Grosso do Sul. Ela é um ótimo negócio para quem quer fazer caixa e a coloca no balcão de vendas - e um negócio melhor ainda para quem assume a receita milionária apurada pelas tarifas pagas mensalmente por 590 mil consumidores.

Deixe seu Comentário

TV MS

30 de outubro de 2019
Árvores plantadas na nova 14 de Julho darão frescor ao Centro

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma