CIDADE LIMPA PREF. NOVA ALVORADA DO SUL FIXA

MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

PRESTAÇÃO DE CONTAS PMCG BARTZ
segunda, 17 de junho de 2019

Mais de R$ 8 milhões

Prefeitura de Corumbá entra na onda mansa do revestimento primário

Até royalties e recursos do Fundersul engordam caixa de prefeito que quer pavimentar candidatura à reeleição

Por: REDAÇÃO07/06/2019 às 13:54
ComentarCompartilhar
Foto: Reprodução

É de R$ 8 milhões 589 mil 047,75 o contrato celebrado pela Prefeitura de Corumbá, por meio da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Publicos, com a Decimal Engenharia. Assinado em 23 de maio de 2019, o contrato foi feito para as obras e serviços de manutenção, restauração e conservação de vias urbanas pavimentadas ou não, inclusive estendendo-se a convênio firmado com a Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul (Sanesul).

Assinaram o documento o secretário Ricardo Campos Ametla e o dono da Decimal, Décio Malta da Silva. Com vigência de 15 meses, o contrato é abastecido por verbas provenientes dos royalties que a Vale do Rio Doce repassa regularmente ao Município e também do Fundo de Desenvolvimento e Manutenção Rodoviária (Fundersul), conforme atesta o contrato administrativo 021/2019, ancorado na Concorrência 02/2019 e amparado no Processo 23.862/2018.

O tipo de obras e serviços contratado é um dos mais importantes no País para garantir trafegabilidade de ruas e estradas que o poder publico não tem condição de asfaltar. As prefeituras recorrem então ao revestimento primário. É um procedimento normal e não deixa de atender exigências inadiáveis em demandas sociais e econômicas associadas à garantia de transporte e locomoção de pessoas e veículos. No entanto, são muitas as denúncias no Brasil sobre a má utilização de recursos em algumas obras de engenharia contratadas pelo poder publico, como é o caso da restauração de vias com revestimento primário.


Tecnicamente, revestimento primário é um nome dado à “camada granular, composta por agregados naturais ou artificiais, aplicada diretamente sobre o subleito compactado e regularizado em rodovias não-pavimentadas, com a função de assegurar condições satisfatórias de tráfego, mesmo sob condições climáticas adversas”. Utiliza-se material diverso: saibro, cascalho, rocha decomposta, seixo rolado ou não, pedregulho, areia, material sílico-argilosos e até subprodutos industriais.

Entre os pontos que mais interessam aos periciadores dos órgãos de controle, quando há denúncia ou suspeita de irregularidade em obras dessa natureza, incluem-se a medição e a aferição da quantidade de viagens (carregamentos) de caminhões com o material de uso. A irregularidade se caracteriza quando se constata, em exame pericial técnico, que a quantidade de carregamentos descrita nos relatórios finais de execução é maior que a quantidade necessária para o tipo de serviço que foi executado. E essas diferenças hoje são aferidas com absoluta precisão. 

 

Deixe seu Comentário

TV MS

14 de junho de 2019
Atrizes de espetáculo em cartaz há 19 anos falam dos bastidores

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma