PRESTAÇÃO DE CONTAS

MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MS

segunda, 22 de abril de 2019

"AMIGO DO AMIGO DE MEU PAI"

STF manda vasculhar casa de general e censura reportagem jornalística contra Toffoli

Chagas disse que “já estava esperando”

Por: TERO QUEIROZ16/04/2019 às 09:03
ComentarCompartilhar
Foto: Reprodução/Web

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), ordenou nesta terça-feira (16), buscas em dez endereços, para apurações sobre supostas "fake news, denunciações caluniosas, ameças e infrações", contra o supremo. A Polícia Federal (PF), foi até oito dos dez lugares, um dos alvos é general da reserva do Exército brasileiro, Paula Chagas. 

Ainda sobre suspeita, o  militar estaria difundindo mensagem, que aos olhos do STF configuram crime contra a honra dos ministros.  

 Em exclusiva ao Radar, Chagas disse que “já estava esperando” que pudesse vir a ser alvo da investigação. 

“Levaram um laptop. Foram muito gentis comigo. O delegado me ligou. Não tenho o que esconder. Sem dúvida tem a ver com as minhas postagens”, disse o general, que em 2018 concorreu ao governo do Distrito Federal aliado ao presidente Jair Bolsonaro (PSL).

De férias, Dias Toffoli é autor da abertura das investigações, ele, presidente do supremo, foi denunciado pelo site O Antagonista, através do uso de papéis oficiais do delator Marcelo Odebrecht, dono da estatal Odebrecht. Em depoimento Marcelo teria dito que, Dias Toffoli seria o: “O amigo do amigo de meu pai”. 

A reportagem foi publicada primeiro na revista Crusoé, e horas após a publicação a matéria foi tirada do ar, ordem  dada pelo ministro Alexandre Moraes, que ordenou a Polícia Federal que fosse ordenada a retirada das matérias do ar, segundo o ministro, a matéria se configurava 'fake news'. No entanto, na noite desta, segunda-feira (16), matéria apresentada no Jornal da Globo, a TV Globo, mostrou que as denúncias feitas pelos respectivos veículos de comunicação eram sim denúncias verídicas e que depoimentos de Marcelo Odebrecht com o teor da denuncia contra Toffoli haviam sido anexados ao processo da Lava Jato, mas que logo após a publicação da reportagem os documentos foram removidos, "por motivos desconhecidos", disse o repórter do Jornal da Globo. 

O inquérito aberto pelo próprio Dias Toffoli segue um formato atípico: foi aberto e é conduzido pelo próprio Judiciário, em sigilo. Indicado por Toffoli como relator, Alexandre de Moraes tem poder para determinar os rumos do inquérito, incluir e ouvir testemunhas e decidir quais mandados serão cumpridos contra quais pessoas.

Contrário as decisões do supremo, o general Paulo Chagas, publicou esclarecimento nas redes socais.  "Caros amigos, acabo de ser honrado com a visita da Polícia Federal em minha residência, com mandato de busca e apreensão expedido por ninguém menos do que ministro Alexandre de Moraes. Quanta honra! Lamentei estar fora de Brasília e não poder recebe-los pessoalmente", escreveu Chagas em sua conta no twitter.  

"A pressão popular sobre os ministros do STF está surtindo efeito. Se quem não deve não teme, por que Gilmar Mendes e Toffolli estão tão agressivos? O desespero indica que estamos no caminho da verdade! 'Sustentar o fogo porque a vitória é nossa'", comemorou Chagas. 

Deixe seu Comentário

TV MS

03 de abril de 2019
Revoada de balões em alusão ao Dia Mundial de consciencização ao autismo

Últimas Notícias

Ver Mais Notícias
MS Notícias - Sua Refência em Jornalismo no MSRua Rodolfo Andrade Pinho, 634
CEP 79090.050 - Vila Taveirópolis
Campo Grande/MS
 (67) 99150.1270
Editorias
Institucional
Mídias Sociais
© MS Notícias. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvimento Plataforma