10 de agosto de 2020
Campo Grande 32º 19º
SEGOV FUNDO ESP. DE SAÚDE MS CORONAVÍRUS MÉDICO
TCE PRAZOS PROCESSUAIS AGILITÁ

Até tú, minha presidenta?, por Edson Moraes

Até tú, minha presidenta?, por Edson Moraes

Até tú, minha presidenta?, por Edson Moraes

Enquanto houver motivos para acreditar na presidenta, na cidadã e na mulher Dilma Roussef continuarei na trincheira para defendê-la. Se porventura for provada, em foro justo e idôneo de julgamento judicial, qualquer uma das acusações que hoje fazem contra ela e, em consequência, sentenciada a punição pertinente, é evidente que cessará a razão de permanecer defendendo-a.

Mas hoje tenho um dia diferenciado no histórico dessa relação para mim tão sagrada. O que sempre fiz e faço com amor ao que acredito, no programa do PT e nas forças verdadeiramente valorosas e idôneas do partido, torna-se uma alegria que, sem perder sua completude, verga-se à tristeza. Uma tristeza pontual, mas profunda. Que faz cair uma lágrima de desalento em relação à crença relacionada aos indivíduos. A presidenta Dilma, a minha presidenta, aquela de quem continuo escudeiro diante da sanha alucinada dos torquemadas de plantão, não poderia jamais abraçar o PL 131.

Temo que, pelas circunstâncias, a presidenta tenha cedido ao semelhante apelo que tornou o presidente Lula refém da “cultura” e do conceito podres da governabilidade, instituto de leiloeiros e arrematadores enquistados nos organismos dos diversos poderes da Republica. Se assim foi para abraçar-se ao PSDB, ao PMDB, ao DEM e aos demais partidos interessados em criar fendas na soberania brasileira, a presidenta cometeu um gravíssimo equívoco.

O PL 31 não é tão somente uma flexibilização da presença da Petrobras no controle da exploração do pré-sal. É o escancaramento da Pátria ao que tem de bom e de ruim nas relações internacionais de uma economia aberta, com regras ditadas pelo “operandi” do neoliberalismo capitalista. Neo? Não, anacrônico. Porque é a abertura das reservas brasileiras aos mesmos especuladores que operavam sangrando as riquezas de outras fronteiras, dando “bananas” à soberania e à autodeterminação de outros povos e países.

Se a Câmara dos Deputados não resgatar a participação controladora da Petrobras, que equivale à afirmação de um controle democrático e aberto, mas patriótico, a política de partilha do pré-sal terá seu regime normativo permeabilizado e o conteúdo nacional do regulamento de operação totalmente descaracterizado.

Não, minha presidenta. Não compactuo com esse acordo, embora possa entender que existam uma intenção meritória e um contexto político delicado nas relações entre Executivo e Legislativo. Quero e vou lutar para que conclua seu mandato e avance as conquistas sociais. Mas o Brasil soberano, democrático e preservado em suas instituições de autonomia e autodeterminação política, social e econômica está acima do meu amor pela minha presidenta, pelo meu partido, pela minha família, pelos meus amigos e só abaixo do amor a Deus!

Contra o PL 131! Sou Brasil!

Exemplo
Novos depósitos: Bolsonaros receberam 89 mil e Queiroz pode voltar para a cadeia
'*COM JUROS'
há 1 dia

Novos depósitos: Bolsonaros receberam 89 mil e Queiroz pode voltar para a cadeia

Ministro da Justiça volta atrás e admite a existência de uma 'lista de opositores'
MENTIU?
há 1 dia

Ministro da Justiça volta atrás e admite a existência de uma 'lista de opositores'

TCE-MS responde consulta formulada por gestores públicos dos três Poderes
ESCLARECIMENTOS
há 1 dia

TCE-MS responde consulta formulada por gestores públicos dos três Poderes

MS ultrapassa 30 mil infectados e 490 mortes: "Não temos controle da doença", diz Secretário
NÚMERO MS
há 1 dia

MS ultrapassa 30 mil infectados e 490 mortes: "Não temos controle da doença", diz Secretário

Ao vivo: veja os dados atualizados do coronavírus em MS
CORONAVÍRUS
há 1 dia

Ao vivo: veja os dados atualizados do coronavírus em MS

Explosão em Beirute: alerta 215 terminais portuários no Brasil, diz Conselho
CONSELHO DE QUÍMICA
há 1 dia

Explosão em Beirute: alerta 215 terminais portuários no Brasil, diz Conselho