21 de junho de 2021
Campo Grande 27º 16º

Boletim Diário

Mercado do boi gordo registra alta em Três Lagoas

Confira esta e outras notícias no nosso boletim diário

A- A+

Baixa oferta faz preço da carne disparar nos frigoríficos

O ano começou com patamar elevado nos preços dos bovinos abatidos na indústria e na carne que chega ao consumidor, principalmente nos cortes de primeira. 
No Rio Grande do Sul, segundo especialistas de mercado, o quilo do boi vivo e o do rendimento da carcaça chegou a subir 20% entre fim de outubro de 2014 e o dia 21 deste mês. 
As vendas ao exterior em 2014 comprovam que os volumes e receitas com carne bovina cresceram. A Fundação de Economia e Estatística (FEE) apontou, na semana passada, que o fluxo subiu 32% em volume (18,1 milhões de toneladas, ante 13,7 milhões de 2013) e 30,7% na receita, terminando o ano com US$ 74,5 milhões. A carência de matéria-prima, cuja oferta mensal de janeiro e abril oscila entre 6% e 7% dos abates do ano, foi apontada pelo grupo Marfrig como a principal razão para fechar a unidade de Alegrete. 

Carne bovina sofreu reajuste de quase 30%, em Belém 

O preço da carne bovina encerrou o ano de 2014 com alta expressiva na região metropolitana de Belém (PA): o quilo da carne de primeira custou em média, no mês de dezembro, R$ 18,25. 

A pesquisa do Dieese aponta um aumento recorde no valor do produto alimentício nos 12 meses do ano passado, chegando a 27,71% de reajuste. A inflação calculada para o período ficou em 6,23%. 

O levantamento, feito em supermercados, açougues e mercados municipais, mostra que em dezembro de 2013 o quilo da carne bovina de primeira custava cerca de R$ 14,29.  Em janeiro do ano passado, custou R$ 14,26; no mês seguinte saltou 8 centavos, e seguiu em alta até fechar o ano custando R$ 18,25. As carnes pesquisadas são coxão mole/chã, cabeça de lombo e paulista. Fonte: Site da Carne

Marfrig pode adiar fechamento de frigorífico no Rio Grande do Sul

A Marfrig pediu a suspensão por 48 horas da reunião com o Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Alimentação de Alegrete, realizada nesta terça-feira (27) no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT/RS), em Porto Alegre. A empresa pediu tempo para que sua diretoria possa analisar a proposta dos trabalhadores de adiamento por seis meses do fechamento do frigorífico em Alegrete.

A continuidade da reunião está marcada para a próxima quinta-feira (29), às 10h. A mediação do TRT/RS ocorreu após decisão tomada na última segunda-feira (26) pelo juiz José Carlos Dal Ri, titular da Vara do Trabalho do Alegrete, suspendendo a dispensa dos 600 empregados do frigorífico até que ocorra uma negociação entre a Marfrig e o sindicato da categoria.

A decisão atendeu pedido de antecipação de tutela ajuizado pelo Ministério Público do Trabalho (MPT). A multa pelo descumprimento da ordem judicial foi fixada em R$100,00 milhões. A Marfrig havia anunciado a despedida em massa de 600 empregados para o dia 4 de fevereiro, quando encerraria as atividades do frigorífico, que é o segundo maior empregador do município.

Além da negociação entre as partes, na ação civil pública o MPT requer a condenação da Marfrig ao pagamento de indenização, a título de danos morais coletivos, de R$16,40 milhões, valor calculado tendo em conta o valor dos salários que deixarão de circular no município por um ano, mais a perda estimada da arrecadação do município com o fechamento da planta. Fonte: Globo Rural

JBS teria doado quase 20% do dinheiro recebido na última década do BNDES a políticos, diz UOL

A JBS SA teria doado 18,5% do dinheiro que tomou emprestado do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) entre 2005 e 2014 para partidos e políticos brasileiros, com R$ 366,8 milhões direcionados em 2014 para campanhas presidenciais e congressionais, de acordo com o site de notícias UOL.

A maior processadora de carne bovina e de aves do mundo foi a maior doadora corporativa de campanhas do Brasil em 2014. A JBS foi classificada como a principal doadora para as campanhas de reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT) e do candidato Aécio Neves (PSDB).

A JBS tomou emprestado R$ 2,5 bilhões do BNDES entre 2005 e 2014, com os empréstimos concedidos para operações como financiamento à exportação e aquisição de equipamentos, de acordo com registros do banco. Nesse tempo, a JBS doou R$ 12 milhões para políticos em 2006 e R$ 63 milhões em 2010, com um salto para R$ 366,8 milhões em 2014, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Só em 2014, a empresa doou 39,56% de seu lucro líquido de 2013, que foi de R$ 926,9 milhões. Em comparação, a segunda maior doadora corporativa do Brasil, a Odebrecht, doou cerca de 22% do seu lucro líquido de 2013 para campanhas no ano passado.

Mercado do boi gordo firme na região de Três Lagoas (MS)

Segundo levantamento da Scot Consultoria, o preço de referência do boi gordo está em R$139,00/@, a prazo, em Três Lagoas (MS). O mercado está firme.

Comparado com o mesmo período do mês anterior, a cotação teve alta de 1,5%.

Para a vaca gorda, também foi observada alta nos preços no período, passando de R$129,00/@ para os atuais R$130,00/@.

Nos últimos treze meses, o preço médio do boi gordo foi de R$123,21/@, 11,4% menos que a referência vigente.

As escalas de abate, na maioria das indústrias frigoríficas, atendem, em média, quatro dias úteis. A oferta está razoável.

O diferencial de base em relação a Barretos (SP) está em -4,1%. Fonte: Scot Consultoria