28 de junho de 2022
Campo Grande 28º 17º

AGRONEGÓCIO

Sem acordo com governo Bolsonaro, auditores agropecuários reavaliam mobilização

Conselho de Delegados Sindicais para definir, em votação, os próximos passos da mobilização

A- A+

Em reunião realizada na terça-feira (26.abr.22), com Marcos Montes, Ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Sindicato dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (ANFFA Sindical) não conseguiu avançar na proposta de reestruturação da carreira.

O Sindicato disse que o governo de Jair Bolsonaro (PL) reforçou a intenção de manter o reajuste linear de 5% para o funcionalismo público, o que não atende o pleito da carreira. Diante desse retorno, o Sindicato vai se reunir hoje (quarta-feira - 27.abr.22) e amanhã (quinta-feira - 28.abr.22) com o Conselho de Delegados Sindicais para definir, em votação, os próximos passos da mobilização da categoria, que serão anunciados até o fim desta semana.

Para os auditores fiscais federais agropecuários (Affas), o reajuste de 5%, anunciado pelo governo federal, não repõe a defasagem salarial da carreira, consequência de mais de cinco anos sem reposição das perdas inflacionárias e da falta de reconhecimento dos esforços desenvolvidos em prol do setor agropecuário no país, que tem contribuído com os relevantes números nas exportações de produtos, para mais de 200 países, decisivos para o sucesso do Produto Interno Bruto (PIB).

A reivindicação da carreira inclui a realização de concurso público para a contratação de mais Affas. De acordo com o Sindicato, a defasagem de pessoal chega a 1.620 auditores fiscais federais agropecuários, que vem sendo compensada, em parte, por extensão de jornadas de trabalho (sem pagamentos de horas-extras) e descontinuidade de atividades, em prioridade a outras. Além disso, reforça que os Affas estão há cinco anos sem qualquer reajuste salarial, enquanto as demais carreiras de auditoria e fiscalização tiveram vencimentos corrigidos em 2018 e em 2019.

O ANFFA Sindical, entidade representativa de mais de 4500 Auditores Fiscais Federais Agropecuários, reforçou que continuará lutando pela valorização da carreira e para que sua reestruturação seja efetivada, num ato de reconhecimento do governo federal àqueles que têm se dedicado ao desenvolvimento desse importante segmento de nossa nação.