14 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Cia Dançurbana apresenta hoje espetáculo “Soma 11” em Alcinópolis

  A população de Alcinópolis – município localizado a 379 quilômetros ao norte de Campo Grande – receberá nesta sexta-feira, 8 de novembro, o espetáculo “Soma 11”, da Cia. Dançurbana. A atividade integra a programação de circulação no interior do Estado patrocinada pelo Fundo de Investimentos Culturais (FIC), da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS). A apresentação será no Ginásio de Esportes da cidade, a partir das 18 horas. “Soma 11” é uma reunião de fragmentos de trabalhos já realizados pela Dançurbana nos últimos anos. Fazem parte coreografias premiadas, espetáculos que já participaram de uma circulação nacional e trabalhos que ajudaram a manter o vasto repertório que a Cia. Dançurbana tem hoje, sempre utilizando como linguagem principal o Hip Hop. O objetivo do projeto é promover o acesso da população do interior do Estado às produções culturais realizadas pelos grupos e companhias de dança sul-mato-grossenses. O espetáculo “Soma 11” já foi apresentado pela companhia de dança no final de outubro, nas cidades de Sidrolândia e Maracaju – também com recursos do FIC. Dançurbana Fundada em 2002 em Campo Grande como Grupo Dança Urbana, a partir de um trabalho de base (de formação) de outro grupo campo-grandense, a Cia Dançurbana em pouco tempo tornou-se conhecida, a partir do momento em que decidiu trilhar um caminho próprio e buscar sua autonomia. Em sua formação inicial era composta por jovens participantes de projetos sociais de dança de rua dos bairros de Campo Grande que se destacavam, seja pelo seu desempenho, participação ou engajamento. Com o desenvolvimento dos trabalhos, atividades de aulas, ensaios e apresentações, novas perspectivas foram aparecendo criando maiores expectativas para os integrantes da companhia. Em seu processo de criação mesclava estilos e técnicas das Danças Urbanas, como o Street e Break Dance, o Hip Hop Freestyle, o Pooping da cultura Hip Hop; com as diversas linguagens da dança, experimentando variados recursos cênicos que resultasse em uma dança híbrida e contemporânea. Hoje seu percurso é marcado por sucessivas transformações, que é sempre norteado pela definição de uma identidade, a partir de uma “ressignificação” do movimento Hip Hop e da busca pela sustentabilidade da companhia, seja por meio de projetos de espetáculos ou pelo trabalho de formação que desenvolve em sua sede. A Dançurbana está em momento transitório, pois está deixando de ser somente mais uma companhia de dança de rua para tornar-se uma companhia preocupada com o desenvolvimento da dança em geral, e da dança de rua, em particular, ao propor trabalhos que provoquem reflexões entre seus membros e diálogos com a comunidade onde se apresenta.   Assessoria FCMS