12 de agosto de 2020
Campo Grande 33º 20º

Desafio de touros é destaque em Porto Murtinho

Uma tradição cada vez mais forte e cultivada na fronteira Brasil-Paraguai, o desafio dos touros Bandido e Encantado será mais uma vez destaque na sua próxima edição, semana que vem. Mas haverá outras atrações e atividades do contexto cultural e artístico de brasileiros e paraguaios no Festival Internacional de Cultura e Turismo de Porto Murtinho, a ser realizado nos próximos dias 13 e 14 neste simpático e hospitaleiro município banhado pelo Rio Paraguai e a 440 km de Campo Grande pela BR-267.   

DESAFIO DOS TOUROS

Antes da abertura do Festival, a cidade receberá lideranças políticas e autoridades governamentais e empresariais para uma agenda fechada de discussões técnicas a partir das 9h no Cine Teatro Ney Machado Mesquita. Esse importante evento, focalizado nos desafios do progresso sustentável para 22 municípios com demandas comuns, será  presidido pelo prefeito murtinhense Heitor Miranda dos Santos (PT), e com apoio da Associação dos Municípios (Assomasul), o Encontro vai reunir autoridades ilustres. Fazem parte da lista de palestrantes o senador Delcídio Amaral; os presidentes da Assomasul, Douglas Figueiredo, da Fiems (Federação das Indústrias), Sérgio Longen, da Federação da Agricultura e Pecuária (Famasul), Eduardo Riedel, da Fundação Estadual de Turismo (Fundtur), Nilde Brum, e do Sindicato das Empresas de Transporte e Logística, Cláudio Cavol; o superintendente do Sebrae-MS, Cláudio Mendonça;  a titular da Secretaria Estadual de Produção (Seprotur), Tereza Cristina; e o senador paraguaio Luiz Roberto Castillone.

ARTE VARIADA - Ainda no dia 13, após as palestras e debates do Encontro, às 19h30min, na Praça José Barbosa de Souza Coelho, começarão as atividades artístico-culturais, com a Banda Musical, a Orquestra de Violões e o Coral Meninas Cantoras, de Porto Murtinho;a Cia de Dança Urbana, de Campo Grande; o grupo murtinhense de capoeira Escravos Brancos; a dupla Hugo & Rafaela; o Ballet Municipal da cidade paraguaia de Vallemy; o espetáculo de dança de Guia Lopes da Laguna; o aplaudido Grupo Ibero-Americano de Folclore de Assunção, capital do Paraguai, uma apresentação (prévia) dos touros bandido e Encantado e por fim o show com a cantora Duda Marques e sua banda. Também se apresentarão os alunos e alunas do Projeto Ritmo e Movimento, da Escola Estadual José Bonifácio. Eles foram campeões este ano em disputas de três modalidades de dança: lambada (1º lugar), polca (2º) e carimbo (3º).

No sábado, 14, o festival terá prosseguimento a partir das 9h, na Praça Thomaz Larangeiras, com o Projeto Cultura na Rua, incluindo a Folia de reis de Bodoquena e a Cia Dança Urbana. Às 11h, no Mercado do Produtor, o almoço com a música do grupo regional Los Divinos. À tarde, recomeçam a Cultura na Rua, com os capoeiristas do Escravos Brancos, o grupo de dança paraguaio de Carmelo Peralta e o espetáculo teatral e circense “Viver e Amar”, da Curumins Cia. Da rua para o Teatro Astério da Conceição, o festival agendou a partir das 18 h a Banda Municipal de Porto Murtinho e o Grupo de Dança de Vallemy. Mais tarde, com início às 20h, e de novo na Praça José Barbosa Coelho, a programação terá o Grupo Los Divinos, a Orquestra de Violões de São Gonçalo (de Amambai), a Colônia Paraguaia de Campo Grande, Luiz Gaúna, a dança de Carmelo Peralta, o Ibero-Americano de Folclore e o tão esperado desafio dos touros Bandido e Encantado, uma disputa eletrizante que acontece todos os anos. Para fechar o festival, as apresentações de valores da música local, a cantora Vanessa Ayala e a dupla Tony & Alberto.

Edson Moraes