02 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 23º

Comércio espera maior movimento a partir do dia 13

Todos os anos a partir do início de novembro a cena se repete e as ruas ficam lotadas de pessoas carregando sacolas e caminhando rapidamente procurando os melhores preços, artigos e presentes natalinos. Neste ano não foi diferente. As ruas lotadas mostram como o os campo-grandenses se comportam nos dias que antecedem uma das datas mais esperadas do ano, o natal.

Além dos consumidores os empresários do comércio também se preparam para as datas festivas, investindo no estoque das lojas, fazendo promoções, alguns elevando os preços e também contratando novos funcionários.

Estima-se que 2013 o número de empregos que serão gerados na época é de até 5.000 contratações que poderão ser efetivadas ou não. Conforme explica a economista da Fecomércio/MS (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso do Sul), Regiane Dedé de Oliveira, de acordo com uma pesquisa desenvolvida pela federação em 2.012 havia menos consumidores nas ruas e o valor médio encontrado nas lojas eram altos, neste ano, mais consumidores estão nas ruas e o valor médio diminuiu.

O gestor de vendas da loja de calçados Anita Shoes, Anderson Mendes Garcia, confirma que é nesta época que há maior preparação para receber a população. “Os estoques aqui da Anita estão sendo preparados desde outubro. Muitas novidades aguardam os clientes que buscam presentes. A nossa preocupação é ter os produtos procurados”. A Anita para este fim de ano renova sua forma de pagamento, que será em até 8 vezes no crediário.

Já a proprietária da loja Maria Flor, Tharina Sartori comenta que cada loja escolhe o padrão de como trabalhar, seja no centro ou em shoppings de Campo Grande. Ela lembra que o fim de ano é a época de promoções e que como exemplo de sua loja, são investidas em roupas principalmente de cores vermelhas, brancas e amarelas, que são as cores mais procuradas.

Para ambos os entrevistados, o movimento nas lojas da Capital já teve início, mas a expectativa é que ele aumente e bata o ano passado.

O horário estendido também será uma maneira dos consumidores procurarem depois das 18h os produtos que desejam. Para Carlos Borges, 33, construtor, o novo horário é uma “mão na roda” e facilita as compras de muitas pessoas que trabalham durante todo o dia.

Os novos horários de atendimento são até as 20 horas, e a partir da semana que vem até as 22 horas, já nos shoppings da Capital na próxima semana o horário se estende até as 23 horas.

As expectativas de aumento nas vendas é de até 5%. Espera-se que a partir do dia 13 o movimento seja maior do que se tem hoje, pois o pagamento do 13º salário sai e as pessoas investem nas compras.

Tayná Biazus