08 de dezembro de 2021
Campo Grande 32º 22º

CRISE | GOVERNO

Abastecimento 2022: Jair cita problemas que irão afetar sua base eleitoral, o agro

"Já aumentou de preço, vai aumentar mais e vai faltar", diz Bolsonaro sobre fertilizantes, insumo básico do produtor rural

A- A+

Ainda ontem (07.out.2021), Jair Bolsonaro afirmou que o Brasil deve enfrentar "problemas de abastecimento" em 2022, dizendo que a crise energética na China pode fazer com que faltem produtos no Brasil. 

"Eu vou avisar um ano antes, fertilizantes: por questão de crise energética, a China começa a produzir menos fertilizantes. Já aumentou de preço, vai aumentar mais e vai faltar. A cada cinco pratos de comida no mundo, um sai do Brasil. Vamos ter problemas de abastecimento ano que vem", disse o presidente, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto.

Em resposta, segundo informações da agência Folhapress, Bolsonaro disse que a Secretaria de Assuntos Estratégicos já está em fase de conclusão de um plano emergencial de fertilizantes.

Na China, segunda maior economia mundial, apagões programados acontecem em decorrência dacrise energética chinesa, já que o país está sem capacidade de geração suficiente. 

Entretando, especialistas apontam que os primeiros efeitos desse cenário no oriente já são sentidos no Brasil. É citada a maior dificuldade que o agronegócio enfrenta para comprar defensivos agrícolas e fertilizantes, além de que o setor de mineração vê as cotações internacionais em queda. 
Também o setor de energia, por sua vez, é afetado diretamente pelos preços recordes do gás natural.

Ainda, em discurso no Planalto, Bolsonaro afirmou que conversou novamente com o presidente da Petrobras, general Joaquim Silva e Luna, sobre o preço dos combustíveis. Ele tratou também da inflação, como um problema que tem afetado outros países e citou aumento dos preços dos combustíveis e do gás.

"Pedi agora uma pessoa nossa que trabalha nos Estados Unidos, no Itamaraty, ir nos mercados -bem como alguns embaixadores da Europa também- mostrar o que está acontecendo. Lá [no exterior], não é apenas inflação, está havendo desabastecimento", disse.

BASTIDORES

Nas entranhas do governo, interlocutores acompanham o tema e prevêem que crise energética chinesa tenha impactos sobre a produção agrícola brasileira. No entanto, sob condição de anonimato à Folha de S.Paulo,  eles afirmaram que, no momento, não trabalham com um cenário de desabastecimento.

Segundo esse grupo, são feitos estudos para diminuir os efeitos da possível falta de fertilizantes e defensivos agrícolas. 

Jair Bolsonaro encontra no "Agro" boa parte de sua base eleitoral política, que o levou até - e o mantêm no - poder. 

"Como deve faltar fertilizante, por falta de oferta no mercado, ele [o produtor rural] vai plantar menos. Se vai plantar menos, vai colher menos. Menos oferta, a procura igual ou um pouquinho maior, [tem] aumento de preço. Isso é para o mundo todo", apontou o presidente durante sua transmissão semanal.