19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Moradia

Aluguel acúmula alta de 11,49% em apenas 12 meses

O IGP-M, índice usado como referência para a correção de valores da maior parte dos contratos de aluguel, desacelerou novamente em agosto, mas acumula avanço de 11,49% em 12 meses, de acordo com dados da FGV (Fundação Getulio Vargas) divulgados nesta terça-feira (30).

Esse novo percentual deve ser aplicado aos contratos de aluguel com aniversário em setembro.
Em agosto, o índice teve alta de 0,15%, após avançar 0,18% em julho. No ano, a variação acumulada é de 6,25%.

O avanço do indicador em 12 meses até julho contrasta com o recuo, no período, dos preços de novos contratos de aluguéis residenciais na cidade de São Paulo. No período, o valor médio dos novos contratos sofreu retração de 2,2%.

Na prática, isso significa que está mais barato alugar um apartamento novo em algumas regiões do que renovar o antigo, se o reajuste do contrato for pelo IGP-M.

Grupos

Em agosto, o IPA (Índice de Preços ao Produtor Amplo), que mede a variação dos preços no atacado e responde por 60% do índice geral, teve variação de 0,04%. Em julho, havia sido de -0,01%.

O IPC (Índice de Preços ao Consumidor), com peso de 30% no índice geral, teve variação de 0,40% em agosto, ante 0,29% em julho.

A principal pressão sobre o IPC veio de alimentação, que avançou 0,66% em agosto, após subir 0,44% em julho. Já os grupos habitação —que foi de 0,13% em julho para 0,01% em agosto— e despesas diversas —que caiu de 0,58% para 0,10%— tiveram queda nas taxas em agosto.

O INCC (Índice Nacional de Custo da Construção) registrou, em agosto, variação de 0,26%, abaixo do resultado de julho, de 1,09%.