12 de junho de 2021
Campo Grande 25º 14º

Cinco capitais tem setor da construção encarecido em outubro

A- A+

No mês de outubro, construir ou reformar ficou mais caro em Brasília, Recife, Rio de Janeiro, porto Alegre e São Paulo, pois de acordo com o levantamento feito pelo Ibre-FGV (Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas), os preços também subiram, mas com menor intensidade, em Salvador e Belo Horizonte.

O INCC-M (Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado) apresentou variação de 0,20% ante 0,16%, em setembro. Esse aumento é consequência do reajuste de preços dos materiais, equipamentos e serviços, de 0,34% para 0,43%. Desde janeiro, esse subcomponente subiu 6,14% e, nos últimos 12 meses, 6,66%.

De acordo com a Agência Brasil, a taxa relativa à mão de obra não teve alteração. Ainda assim, no acumulado dos dez primeiros meses do ano, é a que mais tem pesado na construção, com alta de 7,44%. Sobre o valor pago há um ano, houve correção de 7,93%.

Entre os itens de materiais e equipamentos que mais encareceram estão os materiais para instalação, com reajuste de 0,78% ante 0,38%. Em compensação, os serviços tiveram uma queda de 0,22% para 0,05%.

Em Salvador, o INCC-M teve variação de 0,17% ante 0,18%; em Brasília passou de 0,03%, para 0,14%; em Belo Horizonte, de 0,19% para 0,09%; no Recife, de 0,02% para 0,3%; no Rio de Janeiro, de 0,06% para 0,19%; em Porto alegre, de 0,04% para 0,16%; e, em São Paulo, de 0,25% para 0,26%.

Dany Nascimento