03 de agosto de 2021
Campo Grande 30º 14º

Pesquisa ACICG

Falta de mão de obra e altos impostos impedem desenvolvimento do comércio em polo industrial

A- A+

Uma pesquisa realizada pelo Projeto ACICG Itinerante, promovido pela Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), identificou que entre os fatores que mais prejudicam o desenvolvimento do comércio Polo Industrial Oeste, localizado na saída para Aquidauana, está a falta de mão de obra qualificada e de serviços públicos básicos, como creches e transporte público.

Segundo a pesquisa, comerciantes e empregados acreditam que é necessário melhores condições de trabalho para os colaboradores das 28 empresas que operam na região. Entre as reivindicações estão a melhora no transporte público, incluindo os pontos de ônibus, a manutenção de terrenos baldios, que por conta do mato alto gera a sensação de insegurança nos pedestres, a manutenção da iluminação pública, falta de creche na imediações além da capacitação dos colaboradores das empresas locais.

O levantamento ainda apontou que dentre os três fatores que mais pesam como entrave para crescimento do comércio, está falta de mão de obra qualificada (79%), Altos impostos (64%), Custos trabalhistas (57%).

O presidente da ACICG, João Carlos Polidoro, diz que o resultado da pesquisa é reflexo do atual cenário econômico do país. “De modo geral, os empresários não estão satisfeitos com as altas cobranças de impostos seja para comprar insumos, vender seus produtos ou contratar e manter colaboradores. Os aumentos tributários ocorridos de 2015 para cá vem de encontro com a situação dos empresários, que estão vendendo menos, demitindo mais, criando assim um círculo vicioso”, analisa Polidoro.

Solução

Para tentar auxiliar em possíveis soluções sobre os problemas levantados, além de solicitar uma reunião com a Prefeitura da capital, a Associação Comercial vai realizar uma série de treinamentos na região. “No próximo dia 23 vai acontecer um treinamento sobre Liderança, no auditório da Distribuidora Lopes, e nossa expectativa é atender pelo menos 60 pessoas. Assim como fizemos nas edições anteriores do projeto, vamos dar assistência aos empresários para encontrarem as soluções do que não está em nossa alçada, e trabalharemos pesado em capacitações por meio da nossa Escola de Varejo, levando diversos cursos aos empresários e seus colaboradores, com a Van da ACICG Itinerante”, contribui o coordenador do projeto, Moacir Pereira Junior.

Mais informações sobre a programação de atividades para a região podem ser obtidas pelo telefone (67) 3312-5059.