17 de junho de 2021
Campo Grande 26º 15º

Imposto de Renda

Ficou em casa no Carnaval? Aproveite para separar os documentos do IR 2015

Muitas despesas são dedutíveis do Imposto de Renda, como aquelas com saúde, educação e contribuições previdenciárias, e é preciso ter em mãos os comprovantes desses gastos

A- A+

O prazo de entrega da declaração de Imposto de Renda em 2015 (referente aos rendimentos de 2014) começa apenas no dia 2 de março, e a Receita Federal ainda não liberou o download dos programas de preenchimento e envio.

Quem não viajou neste Carnaval, porém, pode aproveitar os dias de folga para separar os documentos e comprovantes que serão necessários na hora de prestar contas ao Fisco.

Muitas despesas são dedutíveis do Imposto de Renda, como aquelas com saúde, educação e contribuições previdenciárias, e é preciso ter em mãos os comprovantes desses gastos.

Os informes de rendimentos também são essenciais para facilitar a declaração. Nesses documentos, empresas e bancos, por exemplo, resumem tudo o que foi pago ao contribuinte durante o ano anterior.

Esses informes devem ser enviados até o final de fevereiro, então muitos contribuintes já receberam. Os bancos costumam deixá-los disponíveis na internet para que o próprio contribuinte imprima.

Confira os papéis que facilitam o preenchimento da declaração:

Gerais: CPF; título de eleitor; comprovante de endereço; documento ou anotação com sua profissão; cartão do banco para informar o número da agência e da conta para restituição ou débito; cópia da declaração do IR 2014, que facilita o preenchimento da declaração deste ano. O programa importa dados parciais da declaração do IR 2014, que você deve conferir e complementar.

Informes de Rendimentos: dos bancos (com os saldos das contas e os rendimentos das aplicações financeiras); do empregador (que contém informações dos rendimentos, contribuições para o INSS e Imposto Retido na Fonte); de gestoras e corretoras (com valores do saldo em conta e em cada aplicação, bem como rendimentos anuais).

Recibos e notas fiscais de despesas com educação: esses documentos são válidos tanto para os contribuintes, quanto para seus dependentes. São considerados os gastos com escola, faculdade, pós-graduação e ensino técnico. É fundamental guardar o comprovante de todos os meses, contendo o nome e o CNPJ da instituição de ensino.

Recibos e notas fiscais de serviços médicos e odontológicos: devem conter a razão social da empresa ou o nome completo do profissional, seu CNPJ ou CPF, o endereço do estabelecimento, o serviço realizado, bem como o nome completo do paciente e o valor. Entram na lista de despesas médicas: consultas, internações, gastos com plano de saúde, exames, e outras despesas com saúde, de modo geral.

Comprovante de aluguel: é válido tanto para quem mora de aluguel, quanto para o proprietário que recebe a renda dos aluguéis.

Comprovantes de contribuição previdenciária para empregados domésticos com carteira assinada: trata-se do carnê do INSS ou do comprovante online, para quem paga pela internet. Para poder comprovar a dedução, o contribuinte deve reunir os comprovantes de todos os meses em que ocorreu a contribuição.

Outros comprovantes: relação de compra e venda de ações, inclusive com a apuração mensal do imposto; outras rendas recebidas em 2014, como heranças, doações, resgate do FGTS, indenização por ação; recibos de compra e venda de bens, como carros, por exemplo; documentos da aquisição de dívidas ou empréstimos no ano passado.