15 de abril de 2021
Campo Grande 33º 19º

IPCA-15

IBGE aponta que a prévia da inflação fica em 0,48% no mês de fevereiro

Taxa medida para o mesmo período, no ano passado, foi de 0,22%. Alta dos combustíveis é maior responsável pelo impacto

Prévia do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) – conhecida como a prévia da inflação -, divulgada pelo Índice Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta 4ª feira (24.fev.2021), aponta alta de 0,48% em fevereiro, segundo informações da Folhapress.

Ao considerar os meses de janeiro e fevereiro, no ano o índice ficou em 1,26%. Números mostram que, em 12 meses o IPCA-15 acumula uma alta de 4,57%. Em comparação, o mesmo mês de 2020 registrou uma taxa de 0,22%. Segundo economistas ouvidos pela Bloomberg – que mediam uma expectativa de variação de 0,5% - o resultado ficou abaixo. No ano, especialistas medem uma expectativa de 4,59%.

Em análise do cenário, depois de subir 3,52% nos preços, a alta da gasolina foi responsável por exercer um impacto de 0,17 ponto percentual no IPCA-15. Não somente ela, mas dos combustíveis em geral, o diesel (2,89%), o etanol (2,36%) e o gás veicular (0,61%) também registraram alta.

Como segundo maior impacto, depois de subir os preços em 2,39%, com os reajustes anuais aplicados no início do ano letivo, a educação registrou 0,15 pontos percentuais. De acordo com a Folhapress, ainda foram retirados descontos aplicados no ano passado pelas instituições de ensino em meio à pandemia de Covid-19. Isso contribuiu para uma maior alta nos preços da categoria.

Em Fortaleza, a alta intensa nos cursos regulares (8,86%) fez a região apresentar a maior variação positiva no IPCA-15 de fevereiro. Por outro lado, exerceu pressão negativa a redução nas tarifas de energia elétrica, de 4,24%, por causa da mudança nas bandeiras tarifárias, indo de vermelha patamar 2 em dezembro e amarela em janeiro e fevereiro.

A queda fez Goiânia ser a única localidade a apresentar deflação (-0,03%) na prévia da inflação de fevereiro, após retração de 4,88% nos preços da energia elétrica.

O grupo alimentação e bebidas continua desacelerando, indo de 1,53% em janeiro para 0,56% em fevereiro, exercendo influência de 0,12 ponto percentual no índice geral do mês.

Tiveram redução nos preços a batata-inglesa (-5,44%), o leite longa vida (-1,79%), o óleo de soja (-1,73%) e o arroz (-0,96%).

O centro da meta de inflação para 2021 é de 3,75%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual, para mais ou para menos. O mercado, no entanto, já projeta que o índice encerre o ano acima do centro da meta. Segundo o Boletim Focus, pesquisa feita pelo Banco Central com economistas, o IPCA deve acumular alta de 3,82% neste ano.

Para este ano a pesquisa mostra forte aumento dos preços administrados, de 5,10%, contra alta de 4,60% calculada anteriormente. Para 2022 a expectativa de alta dos preços foi reduzida a 3,86%, ante 3,94%

Leia também

• Inflação do aluguel é de 6,86% em 12 meses

• Inflação 'explode' no Brasil, é a mais alta dos últimos 5 anos

• Números do mercado financeiro preveem queda do IPCA de 4,38 para 4,37%

• Inflação oficial de 4,52 é diferente, e bem menor, da realidade do bolso