20 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Linha aérea da empresa Amaszonas será inaugurada dia 30 de maio

Acontece na tarde de hoje um workshop explicativo, para a imprensa local e imprensa boliviana, sobre os detalhes dos voos da linha aérea Amaszonas. O lançamento do voo  Santa Cruz de La Sierra x Campo Grande x Santa Cruz de La Sierra acontece neste momento no  auditório da Governadoria.

O presidente das linhas aéreas Amaszonas, Sergio de Urioste explica que o voo é para até 50 lugares, e a periodicidade é de três vezes por semana, às segundas-feiras, quartas-feiras e sextas-feiras. O valor mínimo da passagem será de US$ 299,00. Para cerca de 25 mil estudantes brasileiros que residem na Bolívia, será oferecido o desconto de até 25% em cima do valor da passagem.

Sergio destacou a importância de Campo Grande entrar novamente na rota dos vôos internacionais, e afirma que o setor de turismo será um dos principais beneficiados, assim como os trabalhadores brasileiros que vivem na Bolívia e os bolivianos que vivem no Brasil.

Exemplo citado pelo presidente, foi sua viagem à Capital, de apenas 1h15, ao contrário da primeira vez em que esteve no Estado, de Santa Cruz a Campo Grande, por conta das escalas, a viagem durou mais de 14 horas. Além disso, Campo Grande, se tornando ponto de escala irá proporcionar ao usuários, em um futuro próximo, viagens mais rápidas com destinos a América do Sul.

Já o governador, André Puccinelli (PMDB), comentou que para a consolidação desse projeto, foi necessário um grande período de estudo, que aconteceu desde o segundo ano de seu primeiro governo, porém, na época não havia condições para implementação. Para o governador, o Estado irá ganhar principalmente no turismo contemplativo de Bonito e do Pantanal. Outro benefício, será em razão do Aquário do Pantanal, onde o governador aproveitou e justificou a necessidade do Aquário, onde Mato Grosso do Sul irá se apropriar da grife, já que 67% do pantanal se encontra no Estado, 23% em Mato Grosso, 2% no Paraguai e 8% na Bolívia.

Puccinelli destacou que os estudos de mercado realizados pela Seprotur (Secretaria de Desenvolvimento Agrário, da Indústria, do Comércio e do Turismo) e Fundação do Turismo deram as condições necessárias para a implantação da linha aérea, permitindo o vôo de 50 lugares, sendo esse, suficiente para preencher a demanda do momento.

O titular da Seprotur, Paulo Engel, destacou que a importância é em relação ao turismo, visto que, hoje, a Bolívia oscila entre o sexto e sétimo paíz que mais traz visitantes ao Brasil, principalmente devido a fronteira com Corumbá e Ladário.

O investimento para a linha é de US$ 300 mil, o voo inaugural acontece dia 30 de maio e a partir do dia 6 de junho os vôos são normais.

Tayná Biazus e Heloísa Lazarini