16 de setembro de 2021
Campo Grande 32º 21º

Economia

Mercedes-Benz paralisa produção de veículos após avanço da Covid-19 no país

A- A+
source
Mercedes-Benz paralisa fábricas no Brasil por causa da Covid-19
Renato Mota
Mercedes-Benz paralisa fábricas no Brasil por causa da Covid-19

Depois da Volkswagen, Scania e Volvo, a alemã Mercedes-Benz também anunciou a paralisação da produção nas fábricas de São Bernardo do Campo, no ABC paulista, e em Juiz de Fora Minas Gerais por conta da pandemia de Covid-1.

O sindicato dos Metalúrgicos do ABC vem conversando, desde a semana passada, com as montadoras e a Anfavea (a associação que representa as montadoras) sobre a necessidade de suspender temporariamente a produção para prevenir casos da doença entre trabalhadores do setor.

A paralisação acontece entre a próxima sexta-feira (26) e o dia 5 de abril. A data coincide com a antecipação de feriados no Grande ABC.

As cidades que fazem parte do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC decidiram ontem antecipar feriados municipais entre 27 de março e 4 de abril.

Além disso, grupos de funcionários da Mercedes também terão férias coletivas alternadamente na volta ao trabalho para garantir a eficiência dos protocolos de segurança e distanciamento.

Em nota, a Mercedes informou que desde o início da pandemia no ano passado, a montadora e sua rede de concessionárias tem se adaptado para atender a todos os protocolos da Organização Mundial da Saúde (OMS) .

Você viu?

"Diante do agravamento da pandemia nos últimos dias, contudo, a Mercedes-Benz do Brasil informa que irá interromper as atividades produtivas das fábricas de veículos comerciais de São Bernardo do Campo (SP) e Juiz de Fora (MG) no dia 26 de março, com retorno previsto para 5 de abril", diz a nota.

O objetivo, diz a nota, é reduzir "a circulação de pessoas neste momento crítico e administrar a dificuldade de abastecimento de peças e componentes na cadeia de suprimentos, além de atender a antecipação de feriados por parte das autoridades municipais".

Sobre as férias coletivas, a montadora informou que com essa medida terá um "um grupo de produção menor mantendo os protocolos de distanciamento, mas continuaremos a atender os nossos clientes com nossos produtos e serviços!.

No total, a montadora emprega cerca de 10 mil profissionais no Brasil.