16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

COVID-19 | APLICATIVOS

Motoristas recorrem à poderes para dar condições a mais de 1500 trabalhadores

Categoria reclama da falta de apoio, de possíveis descontos não aplicados aos combustíveis e encaminha pedido para vacinação prioritária

Desde a semana passada, na 6ª feira (05.abr.2021) a categoria dos profissionais que atuam no transporte de passageiros por aplicativo, que surgiu na Capital como alternativa ao monopólio da rede de táxis, vem buscando ações que podem garantir a segurança dos trabalhadores durante período de pandemia.

Ainda na 6ª feira  a classe ouviu do secretário de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, palavras de apoio e disponibilidade para apoiar a categoria na implementação de ações para fortalecer e dar mais segurança a eles no exercício das atividades 

De acordo com o superintendente do Procon-MS, Marcelo Salomão, o órgão deverá intermediar a conversa com os aplicativos que cancelaram os descontos para a categoria (no que se refere a combustíveis). "Vamos verificar possíveis ilegalidades ou abusividade pelas contratantes (administradora de plataformas), e vamos discutir com o Sinpetro um modelo de negócio voltado para os motoristas de aplicativos”, disse ainda. 

Marcos Derzi, presidente da Fundação do Trabalho de MS (Funtrab), também propôs a discussão da criação de uma plataforma regional para a categoria, através da entidade que os representa. Sobre o ICMS da gasolina e o preço do etanol, que vem acompanhando o aumento do combustível derivado do petróleo, o assunto será discutido com outros setores do Governo do Estado.

Após reunião com representantes do Governo do Estado, Procon, Funtrab e profissionais da classe reivindicadora, em busca de adequações de segurança, o grupo S.O.S Motoristas de Aplicativos entregou um documento de inclusão prioritária da categoria no plano de vacinação, ao elo entre a Casa de Leis e a Prefeitura, o vereador Beto Avelar (PSD). 

Segundo o documento entregue em mãos, a justificativa para o pedido está na constatação de que, todos os decretos municipais reconhecem que motoristas de aplicativos são serviços essenciais para a sociedade de Campo Grande.  

No texto o grupo ressalta um número superior a 1500 profissionais, atuando durante a pandemia, condicionados aos efeitos colaterais do coronavírus em todos os aspectos, de saúde, social e econômico, de acordo com a classe. 

"Mesmo com tantas dificuldades os motoristas de aplicativos não pararam nenhum dia, transportamos pessoas para os Hospitais, trabalho, para suas casas e para diversos locais. Sempre respeitando as normas de biossegurança”, aponta um trecho da carta para o parlamentar. 

Beto Avelar se comprometeu em tratar, junto do secretário de Saúde, Dr. José Mauro Pinto de Castro Filho, a inserção dos motoristas no grupo de vacinação o mais rápido possível. 

“Essa é uma atividade econômica que sofre desde o impacto financeiro com a crise econômica despertada em todos os níveis, com a redução do número de passageiros, fechamento dos locais de passeio, restrição do horário de circulação de pessoas, a falta de incentivo e, até mesmo, com o aumento do preço dos combustíveis e dos produtos da cesta básica. A prioridade de vacinação é justa. São homens e mulheres trabalhando em situação vulnerável e na linha de frente, pois levam milhares de pessoas todos os dias em contato muito próximo”, comenta o vereador, através da assessoria. 

Segundo informações, não só o parlamentar, como também representantes do grupo S.O.S Motoristas de Aplicativo, se reúnem ainda nesta semana com o secretário municipal de Saúde, Dr. José Mauro, para explicar outros detalhes sobre a categoria e obter informações da Prefeitura.