11 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

DESENVOLVIMENTO

Projeto de R$40 milhões de mineradora irá gerar 50 empregos diretos

Até o segundo semestre de 2021, município de Inocência receberá mineradora focada na extração de basalto

Empreendimento no município de inocência está próximo de gerar 50 empregos diretos, com investimento de R$ 40 milhões por parte de uma empresa do ramo de mineração. Até agora, o negócio já conta com autorização da Agência Nacional de Mineração e a Licença Ambiental Prévia do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

Ontem (25.fev.2021), o empresário Jairo Clemente de Oliveira apresentou o projeto para Jaime Verruck, secretário da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), junto do prefeito de Inocência, Antônio Garcia dos Santos; do vice-prefeito Adair Aparecido de Freitas e dos vereadores Jefferson Lopes de Oliveira e João Maria Aparecido Ladeia.

Informações da Secretaria apontam que o responsável pelo empreendimento entrou com pedido de incentivos fiscais junto ao governo do Estado. Para Jairo Clemente de Oliveira, logo no segundo semestre deste ano sua empresa entra em atividade.

“Trata-se de uma nova atividade que chega ao Estado por Inocência e cria a possibilidade de ofertar vários produtos da rocha, como o basalto negro utilizado pela indústria da construção para se obter o 'preto absoluto', usado em decoração. Também deve ser extraído o pó de rocha, remineralizante para a agriculta, além da brita, muito demandada para asfaltamento. É um investimento significativo e uma atividade nova para o Estado que vem ao encontro dos esforços que o governo vem empreendendo para diversificar as atividades econômicas”, apontou Jaime Verruck.

O secretário - que enxerga boas perspectivas de negócios com relação à mineração do basalto na região de Inocência -, ressalta que, existem pesquisas em andamento sobre a utilização do pó de rocha na agricultura e esse é um novo caminho pelo qual a agricultura brasileira se direciona.

Vale ressaltar que, os profundos impactos causados ao meio ambiente deram uma imagem negativa à atividade. Como explica Celso Gomes no livro "Técnicas Analíticas Instrumentais Aplicadas à Geologia", até meados de 1970, a extração de basalto era feita livremente, sem qualquer legislação ambiental. Isso dava um fim degradante e abrupto para as áreas de exploração de basalto (pedreiras).

Mais recente a rochagem (aplicação do pó de rocha) se mostra como alternativa para recuperar a fertilidade do solo por meio da utilização de pó de rocha, uma técnica que é opção mais barata para se melhorar a produtividade de terrenos pobres, o que elava os lucros da propriedade rural. Desde o início de sua atividade a mineração mostra-se como uma ferramenta eficaz na movimentação da economia e outros diversos ramos da sociedade, pela disseminação desses recursos.