24 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 21º

BALANÇA COMERCIAL

Superávit do primeiro bimestre ficou 22,17% inferior ao de 2020

Carta de Conjuntura do Mercado Externo aponta que variação negativa da soja refletiu na queda do saldo da balança comercial

A- A+

Acumulado dos dois primeiros meses de 2021, o superávit da  balança comercial de Mato Grosso do Sul fechou em US$ 175 milhões, puxado pela celulose, carne bovina e milho em grão, em termos de valores em dólar. Divulgada pela Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), as informações derivam de dados da Carta de Conjuntura do Mercado Externo do mês de março de 2021 e apontam que, somente o milho variou positivamente nas exportações, crescendo 200,54%, se comparado ao mesmo período de 2020.

Celulose e carne bovina variaram negativamente, acumulando -45,85% e -5,69% respectivamente. A Semagro aponta que, comparando com o primeiro bimestre de 2020, o superávit ficou 22,17% inferior.

Análise feita pelo secretário Jaime Verruck aponta a tendência de que, a partir de março, sejam intensificadas as exportações e, que a queda no saldo da balança comercial do primeiro bimestre deste ano, em relação ao mesmo período de 2021, reflete o recuo nas exportações de celulose.

“Esse item permanece como primeiro produto na pauta, mas a queda pode sinalizar que pode ter sido direcionado ao mercado interno. A soja também registrou diminuição, muito em decorrência do atraso no plantio e, consequentemente, na colheita. Temos uma boa safra e deveremos ter uma rápida recomposição” disse.

Nesses dois primeiros meses, o que chamou a atenção de maneira positiva foi a continuidade da demanda internacional por açúcar, com crescimento de 226,95% em relação ao ano passado. "E uma persistente e positiva ampliação no mercado externo do minério de ferro, com crescimento de 30,87% no minério de ferro e de 76,26% no ferro-gusa e ferro-ligas", afirmou ele destacando o desempenho positivo do milho, do açúcar, óleos e gorduras vegetais e do minério.

Ainda como o principal parceiro comercial de Mato Grosso do Sul, as exportações para a China recuaram 53,28%, seguida pelos Estados Unidos (7,81%) e Holanda (6,42%). A expansão das idas de produtos para os EUA foi uma surpresa e para 2021, os responsáveis esperam um bom desempenho na balança comercial sul-mato-grossense, destacando que 60% da safra da soja já foi comercializada com o exterior. "Além disso, temos uma manutenção da demanda internacional por milho, soja e minério. Apesar dessa queda, nós acreditamos que será um ano aquecido em termos de exportação, mantendo a procura pelos principais produtos de Mato Grosso do Sul, como a celulose, carnes, minério, açúcar e soja em grão”, finalizou Verruck."