26 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 21º

Trabalhadores da construção civil entram em greve a partir de quarta-feira na Capital

Como forma de protesto devido a não ter os pedidos atendidos pela classe empresarial, os trabalhadores da construção civil de Campo Grande entram em greve a partir da próxima quarta-feira (23), reivindicando um reajuste salarial de 30% no piso e 15% para quem ganha acima do piso.

Os trabalhadores tomara essa decisão através de uma assembleia geral que foi realizada ontem. “Na terça-feira vamos intensificar essa informação e a partir de quarta-feira faremos uma paralisação geral das obras de Campo Grande”, afirma José Abelha Neto, presidente do Sintracom CG (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Campo Grande).

O principal objetivo da classe trabalhadora é ressaltar que “migalhas foram oferecidas pelos patrões”. De acordo com José, a  proposta do Sinduscon-MS, não cobre sequer a inflação do ano, já que foram oferecidos 5,39%  pelos empresários. O Sintracom solicita equiparação com os salários pagos, pelo mesmo trabalho em outros estados da federação, como São Paulo, aonde os valores chegam a 30% de diferença do valor pago aos trabalhadores no Mato Grosso do Sul.

Segundo Abelha, os trabalhadores reclamaram também que a proposta de equiparação salarial com os trabalhadores de São Paulo está nas mãos dos empresários há mais de 70 dias. “Eles não deram bola e só agora apareceram com 5,39%, uma miséria de reajuste”, afirmou o sindicalista.

Para reforçar o movimento de greve o Sintrcom vai contar com o apoio de uma central de trabalhadores e da Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Mato Grosso do Sul, a Fetricom/MS.

Dany Nascimento