05 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 16º
RESPEITO À VIDA RAMAL ASSEMBLEIA

Goleiro do cruzeiro cita incoerência e pede chance na Seleção

Capitão do título brasileiro de 2013 com a segunda melhor defesa do campeonato e titular absoluto do Cruzeiro há pelo menos oito anos. Apesar de raros, tais predicativos não foram suficientes para que o goleiro Fábio tivesse alguma oportunidade na Seleção Brasileira comandada por Luiz Felipe Scolari. Às vésperas da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, o arqueiro pediu uma chance para vestir a camisa verde e amarela e citou até incoerência do atual comandante do selecionado nacional.

"Se você se dedica no seu trabalho, vem se destacando e não tem o reconhecimento máximo que é a Seleção, não tem coerência", alegou Fábio, em entrevista ao programa Bem Amigos, do SporTV. Ele foi acompanhado pelo goleiro palmeirense Fernando Prass, que também fez apelo a uma convocação do cruzeirense. "É uma posição diferente, e o nível dos goleiros no Brasil está muito alto. É difícil falar em injustiça pelo nível, mas o Fábio teve menos oportunidades que os demais. Tem muita gente boa, e seria natural se o Fábio estivesse entre eles", disse Prass.

Segundo goleiro que mais vestiu a camisa do Cruzeiro na história - com 533 jogos, contra 549 do recordista, Raul Plassmann -, Fábio sempre foi tido como um "injustiçado" na Seleção Brasileira. Com boas passagens nas equipes de base - sendo, inclusive, campeão mundial Sub-17 após brilhar na decisão contra Gana, em 1997 - o arqueiro foi convocado para a Seleção adulta em raras oportunidades. Foi terceiro reserva na Copa das Confederações de 2003 e na Copa América de 2004, e amargou uma "seca" de cinco anos até voltar a ser convocado, em 2011, por Mano Menezes.

Ele foi lembrado nos amistosos diante de Romênia e Holanda, realizados nos dias 4 e 7 de junho, respectivamente, e Gana, no dia 4 de setembro. Depois, foi convocado para defender a equipe Canarinho em partida contra a Argentina, em Doha, mas foi cortado devido a uma lesão sofrida em partida contra o Fluminense pelo Campeonato Brasileiro. Em todas estas vezes, porém, foi reserva. Assim, com quase 33 anos e no auge de sua carreira, nunca entrou em campo com a camisa da Seleção.

Para piorar a situação de Fábio, Felipão praticamente assegurou as convocações de Júlio César e Jefferson para a Copa do Mundo de 2014 na última segunda-feira, e colocou a terceira vaga entre Diego Cavalieri e Victor, deixando de lado o cruzeirense. "Respeitando a todos que estão nesse momento dentro da Seleção, todos eles tiveram uma oportunidade, enquanto eu nunca tive. Quero uma chance, independentemente de estar chegando a Copa, seria o mais coerente e mais justo, como todos os outros tiveram em todas as posições", acrescentou Fábio.

A convocação da Seleção Brasileira que disputará a Copa do Mundo de 2014 será realizada em maio, e nesta terça-feira o time de Felipão entra em campo para amistoso contra o Chile, no Canadá, pelo penúltimo jogo antes da divulgação da lista. Até lá, porém, ainda há uma chance de Fábio ser lembrado: no amistoso diante da África do Sul, último antes de Scolari divulgar os 23 escolhidos para o Mundial de 2014.

Portal Terra