15 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Histórico fora de casa 'perfeito' faz Ponte acreditar em título na Argentina

Nesta edição da Copa Sul-Americana, a Ponte Preta só perdeu uma partida jogando como visitante. E quando podia perder. Foi para o Deportivo Pasto nas oitavas de final. Nos outros duelos que fez longe do Moisés Lucarelli, o time de Campinas venceu Criciúma, Vélez Sarsfield e São Paulo. É nesse recente histórico que os jogadores da Ponte estão apegados. Para eles, o empate por 1 a 1 nesta quarta-feira contra o Lanús no jogo de ida da final da Copa Sul-Americana não tira em nada as pretensões da equipe. Pelo contrário, fará com que o time prove mais uma vez a sua força como visitante.

"Fora de casa, a nossa equipe se sente muito bem. Joga até melhor do que em casa em algumas situações. Lá, eles vão precisam sair para o jogo e nos atacar e nós vamos jogar por uma bola, bem fechadinho", disse o herói do empate do duelo de ida, Fellipe Bastos.

O esquema defensivo bem montado e com rápidos contra ataques foi eficaz e deixou para trás dois dos principais favoritos ao título da competição deste ano. O Vélez caiu na quartas, enquanto na semifinal a Ponte derrotou o São Paulo com direito a 3 a 1 em pleno Morumbi.

"Temos totais condições de chegar lá e buscar o título. Tivemos experiências muito difíceis, o Vélez foi um exemplo disso. Vamos descansar para fazer uma grande partida. Temos que fazer a nossa parte e focar no nosso estilo de jogo. Esse jogo é o jogo da história da Ponte e vai trazer muita alegria para a torcida e para nós também", concordou Elias.

O técnico Jorginho também ressaltou a qualidade da Ponte jogando como visitante, mas fez questão de ressaltar o poder ofensivo do Lanús. Pensando já na partida de volta, o treinador prometeu estudar uma forma de parar as longar bolas que chegam ao centroavante Santiago Silva. "Preocupa, sim. É a forma que eles jogam e precisamos anular".

O argentino, que no Brasil ficou conhecido como El Tanque durante sua passagem pelo Corinthians, não deu muito trabalho nesta quarta-feira. Na única chance clara que teve para marcar, ele perdeu um gol inacreditável. O lance fez Jorginho vibrar.

"Eu vibrei muito, como se fosse um gol. Tipo aqueles caras do futsal quando fazem uma defesa. Ele tentou dar de três dedos, quando precisava ter calma. As coisas estão caminhando para gente, não tenha dúvida. Conseguimos empatar o jogo. Temos que ver que esse é o nosso momento e não podemos deixar essa oportunidade passar", analisou, lembrando justamente a única derrota do time na competição.

"Aquele jogo do Deportivo Pasto foi marcante. Tomamos um sufoco, 1 a 0, mas a felicidade estava do nosso lado e as coisas não iam para eles. É hora de aproveitar", finalizou.

O duelo decisivo acontece na próxima quarta-feira, às 21h50, em Buenos Aires.

Portal Uol