08 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 17º

Nissan rompe com Vasco por briga, e clube quer acordo para evitar Justiça

Os episódios violentos em Joinville causaram o rompimento do contrato de patrocínio entre Nissan e Vasco. A montadora comunicou a rescisão na tarde desta segunda-feira e deixou o Cruzmaltino sem mais R$ 21 milhões previstos até 2017.

As partes assinaram contrato no mês de julho. O valor total era de R$ 28 milhões por quatro anos. O clube de São Januário chegou a antecipar a primeira cota para pagar salários e demais dívidas.

A relação já vinha desgastada quando o diretor de marketing da Nissan, Murilo Moreno, afirmou em novembro que o fato de o Vasco disputar a segunda divisão seria "melhor ainda" para a marca, já que a exposição na mídia teria um alcance maior. "E ainda por cima vamos ser o patrocinador do acesso", disse na ocasião o executivo.

A reportagem procurou a diretoria do Vasco para comentar o caso. O presidente Roberto Dinamite, o diretor geral Cristiano Koehler e o diretor jurídico Gustavo Pinheiro não atenderam os telefonemas. O clube vai buscar o acordo entre as partes para uma composição pela quebra de contrato. Caso a tentativa não tenha sucesso, o Cruzmaltino pretende acionar à Justiça para ser indenizado.

Confira o comunicado oficial da Nissan

Depois dos recentes atos de inaceitável violência, a Nissan informa que não manterá o contrato de patrocínio junto ao Club de Regatas Vasco da Gama.

A direção da Nissan considera que os referidos atos de violência são incompatíveis com os valores e princípios sustentados e defendidos pela empresa em todo o mundo.

O patrocínio havia sido assinado em Julho de 2013, e tinha previsão de duração de quatro anos.

A Nissan reforça seu compromisso com o esporte brasileiro como Patrocinadora Oficial dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016™ e apoio a 30 atletas olímpicos e paralímpicos do Brasil.

Portal Uol