30 de outubro de 2020
Campo Grande 24º 18º

Novoperário e Cene empatam em jogo que doeu os olhos

Novoperário e Cene empataram por 0 x 0, o dérbi que abriu o returno para as duas equipes ontem em jogo disputado no Morenão e o o galo tricolor segue sem vencer o rival e mais uma vez, com o rival com um homem a menos. O dérbi começou agitado fora de campo com efeito suspensivo que permitiu as entradas dos suspensos Michel e Agnaldo em campo. O Diretor de Futebol do Cene Paulo Telles afirmou em entrevista a Rádio Capittal AM 930 que há irregularidade na escalação dos atletas e fará denúncia hoje ao TJD/MS. Em campo, Michel ganhou a vaga de Serginho pelo lado do Novoperário. No Cene, Sapinho entrou no lugar de Guto e Wellington Lima no lugar de Baiano. O Cene teve a primeira oportunidade aos 8 minutos quando Biro tocou para Érick que chutou da entrada da área e Vitor espalmou. O Novoperário respondeu apenas aos 20 minutos quando Dubinha rebateu mal, Michel ganhou de Cafú, invadiu a área e chutou na trave esquerda de André. Dois minutos depois, a maior chance de gol da etapa inicial. Kanu recebeu de Agnaldo no meio da área e chutou para um verdadeiro milagre de André Moretto. O jogo era de balão dos dois lados. Parecia que as equipes não tinham meio campo e faziam ligação direta. O Cene respondeu aos 32 minutos quando Biro arriscou de longe, a bola bateu na trave, nas costas de Vitor, na outra trave e quando Érick ia marcar, foi travado por Clécio. Pouco depois, Kanu saiu machucado e foi substituído por Serginho. Aos 40, Michel tentou um voleio após cruzamento de Clécio mas não assustou. Agnaldo aos 46, saiu cara a cara com Moretto mas na hora de concluir, recuou para o goleiro. Na última chance da 1ª etapa, Adrian cobrou falta com perigo e assustou André Moretto. Na volta para a etapa final, o lance que poderia ter definido o jogo. Michel recebeu de Agnaldo, chutou e a bola bateu na mão de Eduardo. Pênalti que Serginho bateu e André Moretto defendeu aos dois minutos. No minuto seguinte, o Cene respondeu com Wellington Lima que cabeceou e Vitor fez grande defesa. Aos 20 minutos, um erro fatal da arbitragem de Augusto Borges Ortega. Clécio deixou o braço em Eduardo e quem foi expulso foi o jogador do Cene. Foi a última emoção de um 2º tempo pífio. O Cene se limitou a se defender com um a menos e o fez muito bem. Muito por conta da incompetência do Novoperário que não obrigou André Moretto a fazer uma defesa sequer durante os 27 minutos que teve um homem a mais. Ao fim do jogo protesto da torcida do Novoperário contra os jogadores e principalmente contra o técnico Rudney Lucas que usa a muleta de afirmar que o time está no G-4 e que não vence por perder gols demais. As duas afirmações são verdadeiras, mas perder gols não é o único problema do Novoperário. Rudney não consegue fazer o time jogar e não tem a humildade de reconhecer que seu time não vem jogando bem. Ontem, o time não quis jogar claramente. Seria para derrubar o treinador? Para mim isso parece óbvio. Pelo lado do Cene, Paulo Muller saiu irritadíssimo pelo péssimo futebol apresentado pelo seu time. A franqueza de Paulo Muller dá sinal que o Cene tende a evoluir pois o comandante reconhece o que precisa melhorar em seu time. Agora pelo lado do Novoperário, o diretor executivo Eduardo Maluf deve estar adorando o desempenho do time em campo. Como ele é empresário musical, deve estar adorando o time tocar, tocar, tocar e a torcida cantar burro, burro, burro para o treinador. Aliás, ontem o canto não foi só de burro. A torcida cantou o nome de Paulo Rezende que estava no Morenão com a cúpula do galo tricolor. Quando digo cúpula, são os 13 diretores que fundaram o clube, levaram o time a série A, mas que agora são subservientes a Maluf. Agora como o critério de Maluf para ter colocado Rudney no cargo é a amizade, o péssimo futebol pouco deve importar, afinal de contas, amigo é amigo e o resto da frase vocês sabem como é.Ficha Técnica Novoperário: Vitor, Clécio, Jaime, Miller e Adrian(Jonatan). Edil, Agnaldo, Mamão e Jéferson Arroz(Cláudio César). Michel e Kanu(Serginho) Técnico: Rudney Lucas Cene: André, Cafú, Maycon(Baiano), Dubinha e Eduardo. Naka, Márcio, Wellington Lima e Biro(Bolacha). Érick(César) e Guilherme. Técnico: Paulo Muller Árbitro: Augusto Domingos Borges Ortega(Regular) Assistente 1: Claysson Vieira de Morais(Regular) Assistente 2: Maycon Aparecido de Souza Cartões Amarelos: 02 Cene(02): Eduardo e Wellington Lima Cartões Vermelhos: 01 Cene(01): Eduardo Público pagante: 377 torcedores Público não pagante: 270 torcedores Público total: 647 torcedores Renda: 3390,00R$ Futebol na Canela