28 de fevereiro de 2021
Campo Grande 33º 21º

22ª Festa do Divino em Campo Grande tem início na Assembleia Legislativa

Presente na memória do povo de Coxim, a Festa do Divino Espírito Santo passou a ser tradição também em Campo Grande. Na manhã desta segunda-feira (6/6), teve início a programação na Capital, com a realização da missa na Assembleia Legislativa. A celebração foi realizada pelo padre Micael Carlos, da Catedral São José de Coxim, e teve a participação dos festeiros e alferes da bandeira. A proposição do evento na Casa de Leis é de autoria do presidente Junior Mochi (PMDB).

De acordo com o sacerdote, muitos jovens foram estudar nos grandes centros e, por conta das férias escolares, é no mês de julho que se comemora a festa em Coxim. Já Campo Grande passou a receber o evento religioso em razão da mudança de alguns coxinenses para Capital. “Há 22 anos promovida em Campo Grande, a festividade se encerrará no próximo dia 12, no Clube Recreativo Funlec, no bairro Chácara dos Poderes. Serão oferecidos pratos típicos da culinária coxinense e celebraremos uma missa em ação de graça”, informou.

Durante a semana, os festeiros, alferes e músicos irão visitar as residências, acompanhados da bandeira do Divino, levando as bênçãos do Espírito Santo aos católicos e arrecadando recursos para a celebração da festa em julho. Junior Mochi é o autor da Lei 3.586, que inclui no Calendário Cívico e Cultural do Estado de Mato Grosso do Sul, a festa do Divino Espírito Santo.

“A festa já incorporou nas ações da Assembleia Legislativa. Trata-se do festejo religioso mais antigo do Estado. Os registros históricos revelam 138 anos de realização desta manifestação religiosa. Valorizar a história sul-mato-grossense e a expressão de fé do nosso povo fazem parte da nossa obrigação enquanto parlamentares”, ressaltou o presidente.

Histórico

O padre Micael Carlos explica que as festividades do Divino Espírito Santo são de origem alemã e tinham o propósito de angariar donativos destinados aos pobres. “Nas atuais comemorações conservaram os aspectos da realeza mantendo os símbolos da Coroa, o Cetro e a Bandeira. Com o passar dos anos, a festa chegou a Portugal. Por isso, no Brasil os primeiros colonizadores difundiram a celebração em todo o território”.

No Mato Grosso do Sul, a manifestação de Coxim é a mais antiga. “Temos um documento histórico provando que em 1874 a festa já era comemorada na então vila de Coxim, com presença religiosa de Corumbá”. Para o sacerdote, a festa consagrou-se como religiosa, cultural e social.

“A bandeira percorre casas, estabelecimentos comerciais e fazendas. No Salão Paroquial terá praça de alimentação, brinquedos, show de prêmios e apresentações artísticas, atraindo centenas de devotos. Sabedoria, entendimento, conselho, fortaleza, piedade e temor de Deus são evidenciados para a difusão desses dons à comunidade. É um momento de fé, alegria e confraternização”, disse o padre. A 121ª Festa do Divino Espírito Santo de Coxim será entre os dias 15 e 24 de julho