18 de janeiro de 2021
Campo Grande 27º 22º

ENEM 2018

Ao elaborar simulado, professoras de escola pública acertam tema de redação

Docentes são da Escola Estadual Maria Constança Barros, no Bairro Amambaí

As professoras de Língua Portuguesa da Escola Estadual Maria Constança Barros Machado, localizada no Bairro Amambaí em Campo Grande, acertaram em cheio o tema da redação do Enem esse ano. Através da elaboração do simulado, prova que os alunos da escola realizam todos os anos para reforçar os estudos antes do exame, que a ideia do tema apareceu. Em Mato Grosso do Sul, 72.329 se inscreveram para fazer a prova do Enem. A segunda etapa do exame acontece no próximo domingo (11), e vai abordar Ciências da Natureza e suas Tecnologias/Matemática e suas Tecnologias. 

“Foi elaborando o simulado dos nossos alunos que o tema surgiu”, disse a professora de Língua Portuguesa Caroline Araújo Figueiredo. De acordo com ela, alguns dias antes da prova, ela com a ajuda da professora, Karina Caposstano, que também leciona a disciplina de língua portuguesa, se reuniram para elaborar a prova dos alunos e durante a discussão de possiveis temas de redação, optaram por algo e relacionado a internet.

Após a escolha do tema, os alunos do terceiro ano do Ensino Médio realizaram a prova e tiraram dúvidas com as professoras. Na visão de Caroline, a prova ajudou bastante os alunos a aprofundarem no tema e se saírem bem no Enem.

A proposta escolhida pelas professoras foi “Poder na manipulação das redes”, o que é bastante semelhante com o tema escolhido pelo Ministério da Educação (MEC) “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

INTERESSANTE E PERTINENTE

Candidatos que fizeram a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em Campo Grande, no último domingo (5), consideraram o tema da redação um assunto muito pertinente.

Thiago Carrato, de 17 anos, prestou o Enem na Uniderp, na Capital, e afirmou que o tema é importante e recorrente nos dias atuais e que a questão merece ser debatida. “Eu não defendo a e quando a gente entra na internet temos que ter o livre arbítrio de ver o que quisermos e não sermos manipulados”, disse.