30 de novembro de 2021
Campo Grande 31º 22º

POLE SPORTS

Atletas fazem evento para arrecadar fundos e representar MS em campeonato nacional de Pole Dance

Além de enfrentar dificuldades financeiras elas lutam também contra o preconceito

A- A+

Praticantes de Pole Sports, Mayara da Silva Fernandes, de 21 anos, Lyane Melo, Monique Jaeger Zuanazzi, ambas de 27 anos e Gislaine De Abreu Petralla, de 38 anos, realizarão ensaio fotográfico de alunas praticantes do esporte no próximo domingo (09), em uma chácara próxima ao Clube de Laço Comprido de Campo Grande. 

O evento nomeado "Pole Book", tem como objetivo principal arrecadar fundos para que as atletas possam ir até Itajaí em Santa Catarina, para participar do Campeonato Brasileiro de Pole Dance, que acontece entre os dias dias 15 e 16 de junho.  

Além do evento para arrecadar os fundos as meninas buscam apoiadores para prática do esporte que é pouco conhecido e respeitado em Mato Grosso do Sul.

Segundo as atletas, além das dificuldade financeiras a prática do pole dance esbarra no preconceito. "O preconceito em torno do esporte é visível em todos os âmbitos, pois geralmente as pessoas não conseguem similar o pole dance à um esporte e sim a “mulheres fáceis”, ou algum adjetivo do tipo, julgando o esporte de todas as formas, menos como tipo de arte, cultura ou esporte", explica a integrante Mayara Fernandes.  

 

(Mayara Fernades. Foto: Divulgação).  

No ensaio de domingo, cerca de 8 meninas praticantes do esporte se inscreveram. Cada uma delas terão 30 minutos para fazer 12 poses. Cada fotografia custou em torno de R$ 80 sem edição, o dinheiro será usado pelo estúdio Pole Lab, para levar as organizadoras do evento ao Campeonato Brasileiro, as quatro concorrem: - Mayara e Gislaine, na categoria amadora;  Lyane e Monique, disputam na categoria profissional.  


(Monique Jaeger Zuanazzi. Foto: Divulgação).

Ainda segundo Mayara, para tentar conscientizar e desmistificar pré-conceitos criados em torno do esporte, não apenas pelo público, mas também por veículos midiáticos, estão sendo pensadas estratégias para comunicar. "Esses dias ficamos sabendo que até mesmo uma emissora daqui de Campo Grande, que falaria sobre o projeto, desistiu por preconceito. Por isso estamos pensando em criar uma hashtag (#) contra o preconceito", detalhou Mayara.

O grupo pode representar MS para o Brasil, concorrendo ao título nacional de pole sports 2019, os vencedores serão condecorados com medalhas de ouro.


(Gislaine De Abreu Petralla. Foto: Divulgação).  

Sobre os assédios que sofrem, elas explicam que lamentavelmente é constante. "Seja por estar postando vídeos, por falar que da prática pole dance, ou simplesmente por postar uma foto, fazendo uma foto legal. As pessoas se sentem no direito de insinuar situações e nos desrespeitar e nos desmerecer", finalizou a atleta.  

Para quem deseja acompanhar o projeto, ou mesmo deseja praticar o esporte, pode seguir o trabalho e contatar através do Instagram do Pole Lab