19 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Prevenção

Campanha alerta sobre riscos de contaminação por benezeno

Com objetivo de conscientizar os motoristas, frentistas e donos de postos de combustíveis sobre os perigos do benzeno para a saúde e para o meio ambiente.  Uma panfletagem educativa foi realizada na manhã desta quarta-feira (10) em Campo Grande.

A mobilização ocorreu nas imediações dos postos de combustíveis Santa Conceição e Locatelli, tendo como principal objetivo orientar os consumidores a encher o tanque somente até o automático. O benzeno é um dos componentes da gasolina que evapora muito rápido, prejudicando a qualidade do ar e a saúde de quem o inala. Quando o tanque é abastecido apenas até o automático da bomba, a chance desse componente sair em forma de vapor é reduzida. O derramamento do combustível excedente do tanque no solo e a sua evaporação no ar também causam riscos ao meio ambiente com a contaminação do lençol freático.

Frentistas, mecânicos e abastecedores de caminhões de combustíveis são os trabalhadores mais expostos à intoxicação por benzeno, que pode causar bronquite, dificuldades respiratórias e até bronquiolites irritativas graves, com hemorragia, inflamação e edema pulmonar, podendo levar à morte.

Jonas Ratier Moreno, procurador do Trabalho e coordenador do Fórum, destaca que a finalidade da campanha é prevenir a contaminação pelo benzeno. “O travamento da bomba indica que o tanque está tecnicamente cheio. Por isso, não há necessidade de abastecer o veículo além desse travamento. O abastecimento manual expõe o frentista ao benzeno, um elemento já reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como cancerígeno, além de trazer prejuízos ao meio ambiente e ao próprio veículo”, disse. 

Ainda segundo o procurador do Trabalho, o alerta da OMS já é suficiente para incentivar uma atuação preventiva. “Não precisamos de um elevado número de causas de adoecimento e de afastamento dos trabalhadores para agirmos contra a intoxicação por benzeno. Temos que trabalhar, antes de tudo, com a prevenção”, acentuou.

Participando da campanha, a fiscal Mari de Fátima Carvalho observou que, desde 2014, a Vigilância Sanitária de Campo Grande tem acompanhado o cumprimento das normas de segurança em relação ao benzeno pelos postos de combustíveis. Entre as medidas, está o uso de uniformes e calçados específicos, além de procedimentos para o carregamento dos combustíveis.

Há dez anos trabalhando como frentista, Elvio Canhete relata que muitos motoristas cobram o preenchimento do tanque além do travamento automático da bomba. “Taxistas, principalmente, pedem para encher até o combustível aparecer. Quando alertamos, eles dizem que estão pagando e ignoram os riscos a nossa saúde”, lembrou.

Pena para quem ultrapassa o automático

Em Mato Grosso do Sul, foi publicada a Lei nº 4.574/2014, que determina aos postos de combustíveis o preenchimento do tanque de combustível dos veículos até o travamento automático de segurança da bomba de abastecimento, sob pena de multa de 10 Uferms, aplicados em dobro no caso de reincidência. Os postos de combustíveis também deverão afixar cartazes para alertar os consumidores. (Com assessoria)