25 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

Coronavírus

Casos de coronavírus aumentam 450% na região do Pantanal em junho

Região formada por 7 municípios ainda não registrou casos de Covid-19 em 2 e vê explosão no total de infecções em Corumbá e Ladário

Geograficamente uma das regiões mais isoladas de Mato Grosso do Sul –por conta da grande extensão territorial e baixo número de municípios–, o Pantanal assiste em junho um grande avanço no total de casos de coronavírus: o volume disparou 458% em 22 dias.

Os 229 casos registrados desde o início da pandemia até esta segunda-feira (22) estão bem mais concentrados em 2 cidades e, até o momento, “poupam” outras duas.

Maior cidade da região e com um dos maiores territórios do Brasil, Corumbá é responsável por 86% dos casos de toda a região: foram 197 até a manhã desta segunda-feira. Em segundo lugar aparece Ladário, encravada no território corumbaense e que teve 26 casos confirmados até o momento. Juntas, as cidades respondem por 97% dos casos de Covid-19 no Pantanal.

 

A terceira posição em total de casos vem bem atrás: Anastácio registrou até aqui 3 pacientes de Covid-19. A vizinha Aquidauana tem apenas um. E, a alguns quilômetros desses municípios vizinhos, Miranda registrou recentemente seu segundo caso, depois de 65 dias sem nenhum infectado.

A evolução do coronavírus na região é bem peculiar. Até 31 de maio, o total de casos era de apenas 41. Até o dia 26 do mês passado, Corumbá, Ladário e Miranda eram as únicas localidades que tinham registrado pacientes de Covid-19. Aquidauana, por duas vezes, apontou “falsos positivos” ou teve casos atribuídos a moradores que não vivem mais na cidade.

A situação foi a mesma de Porto Murtinho, que chegou a ter casos atribuídos a pacientes de Guia Lopes da Laguna que furaram a quarentena –no momento em que o município do Sudoeste vivia uma explosão de infecções. Dois Irmãos do Buriti, por sua vez, não teve casos positivos até o presente momento.

Região formada por 7 municípios ainda não registrou casos de Covid-19 em 2 e vê explosão no total de infecções em Corumbá e Ladário Casos de coronavírus enfrentam crescente no Pantanal, principalmente em Corumbá e Ladário. (Imagem: Reportagem)

Contudo, desde 1º de junho, o volume de infectados disparou, principalmente em Corumbá –atualmente a sétima em casos no Estado– e Ladário. Os 41 casos se tornaram 229 em apenas 22 dias, uma média de 8,5 casos novos por dia. Em 17 de junho, foram 23 casos (21 em Corumbá e 2 em Ladário), recorde da região.

A diferença de 188 casos no período representa uma evolução superior a 458% no período. Coincidentemente, neste período, também apareceram as mortes na região: Corumbá concentrou 3 óbitos desde 12 de junho. A quarta morte na região do Pantanal foi anunciada no dia 18, em Anastácio.

Maioria dos infectados na região do Pantanal já se recuperou da Covid-19

Dos 197 pacientes de Corumbá, outros 100 estão recuperados e 83 em tratamento domiciliar; não há detalhes sobre 9 e dois aparecem apenas como “casos confirmados”. Ladário relatou 14 recuperados e 4 em tratamento domiciliar –os dados da cidade na base de dados Mais Saúde, da SES (Secretaria de Estado de Saúde), vão até 15 de junho.

O delay nos dados também atinge as outras cidades. Anastácio relatou 2 pacientes recuperados até o fim de maio –o óbito foi registrado em Aquidauana, onde o paciente buscou socorro. Já o único aquidauanense infectado também estaria em tratamento domiciliar, assim como um dos pacientes de Miranda (o outro já se recuperou).

Com mais casos e mais habitantes, Corumbá ainda detém a maior taxa de incidência de Covid-19 da região (176,8 por 100 mil habitantes), um pouco à frente de Ladário (111,4). Anastácio tem taxa de 11,9 por 100 mil, Miranda, de 7,1 por 100 mil e Aquidauana, 2,1 por 100 mil.