28 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 21º

DESCONTROLE

CDL diz que MS tem ardido em chamas, cita supermercados e questiona autoridades

Pantanal, passando pela bacia do Taquari, a casas nas cidades, além de empreendimentos do varejo, o fogo tem consumido vidas, patrimônio e as esperanças das pessoas

Mato Grosso do Sul tem ardido em chamas. Da nossa maior riqueza natural, o Pantanal, passando pela bacia do Taquari, a casas nas cidades, além de empreendimentos do varejo, o fogo tem consumido vidas, patrimônio e as esperanças das pessoas.

Fauna e flora gritam por socorro. Pessoas gritam por socorro. Um grito que tem ecoado em todo Mato Grosso do Sul e que precisa de medidas urgentes. 

A Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Mato Grosso do Sul ( FCDL MS) e a  Câmara de Dirigentes Lojistas de Campo Grande (CDL CG) dizem entender que não é uma questão de escolher qual fogo lamentar, mas sim de refletir sobre a falta de estrutura e de apoio, seja para a natureza que vira cinzas, seja para as casas consumidas pelas chamas, seja para as empresas que queimam.

"Em Campo Grande foram dois supermercados consumidos pelo fogo, em Corumbá dois lares de famílias que estão desamparadas, em todo o Pantanal focos de incêndios descontrolados matam animais e transformam a beleza em tristeza", relata nota das entdades.  

"Chama muita atenção a falta de estrutura para o combate tanto das queimadas, quanto dos incêndios, hidrantes secos, falta de auxílio da defesa civil e de estruturas governamentais que têm obrigação em prestar esta ajuda", cobra.  

"Nossa sociedade não pode padecer com estruturas inadequadas, com falta de protocolos de ações para situações adversas e principalmente, pela ausência de políticas responsáveis que fiscalizem e cobrem que haja o mínimo de segurança", reforça.  

"Por isso, as entidades questionam qual fogo queima mais? O fogo que consome o Pantanal, o fogo que derruba casas e empresas ou o fogo da falta de estrutura e empenho que nos deixa à mercê das grandes tragédias?", pergunta documento assinado pelo Presidente CDL de Campo Grande, Adelaido Vila e pela Presidente FCDL MS, 
Inês Santiago.