30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

PANDEMIA

Covid-19 mata duas vezes mais que a dengue e é 837% superior à influenza em MS

A dengue e o H1N1 sempre são citados como exemplos pelos negacionistas para minimizar as mortes causadas pelo coronavírus

Mato Grosso do Sul contabiliza 75 óbitos nesta 2ª-feira (29.junho), causados pela Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. No estado, a doença chegou a ser comparada como sendo menos prejudicial que a Dengue, hoje, segundo levantamento do Site O Jacaré, a Covid-19 já dobra o número de mortes provocado pelo mosquito Aedes Aegypti e já é em 2020, 837% maior que a causada pelo vírus influenza. 

Segundo o Secretário de Saúde, os próximos dias serão terríveis em MS. Geraldo Resende apontou nesta manhã, durante a leitura do boletim da Secretaria Estadual de Saúde, que confirmou mais 149 casos em 24 horas, com total passando de 7.527 para 7.676 no Estado.

Campo Grande superou a barreira dos 2 mil casos e caminha para se tornar o novo epicentro do coronavírus. A pandemia ganha força em Rio Brilhante (309 casos), Chapadão Sul (155), São Gabriel do Oeste (133) e Paranaíba (129).

Houve a confirmação do primeiro caso em Rio Negro. Isso significa que o coronavírus já circula em 68 dos 79 municípios sul-mato-grossenses. Neste domingo, com a confirmação de 12 casos em Rochedo, a prefeitura determinou a suspensão das atividades no frigorífico, que acabou dando férias coletivas para 800 servidores.

A mesma prudência não foi adotada pela Secretaria Estadual de Saúde nem pela Prefeitura Municipal de Dourados em relação ao frigorífico da gigante JBS, que emprega 4,3 mil pessoas e acabou espalhando a doença na região da Grande Dourados. A segunda maior cidade do Estado continua líder no ranking no número de casos, com 2.487 infectados e 22 mortes causadas pela covid-19.

A dengue e o H1N1 sempre são citados como exemplos pelos negacionistas para minimizar as mortes causadas pelo coronavírus. De acordo com especialistas, a covid-19 possui taxa de letalidade maior, que pode chegar a 7%, e se propaga com mais rapidez. O isolamento social é recomendado para evitar a superlotação dos leitos de UTI e salvar vidas.

Fonte: O Jacaré

Fonte: O Jacaré