04 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

MATO GROSSO

Digital influencer, esposa de ex-deputado é indiciada por homicídio

Lidiane Campos dirigia SW4 que matou menino de 3 anos no dia 11 de agosto em Rondonópolis

A digital influencer Lidiane Campos, esposa do ex-deputado federal Adilton Sachetti (PRB), foi indiciada por homicídio culposo na direção de veículo e omissão de socorro por ter provocado a morte de um menino de 3 anos, durante um acidente de trânsito que aconteceu no 11 de agosto de 2019, em Rondonópolis (216,6 quilômetros de Cuiabá). Agora, caberá ao Ministério Público Estadual (MPE), oferecer a denúncia ou não.

Conforme apurou o FOLHAMAX, o relatório das investigações produzido pela Polícia Judiciária Civil foi concluído pela delegada Ludmila Vendramel, há aproximadamente 15 dias. A polícia manteve a tipificação inicial dos crimes, contudo, não inseriu no documento que Lidiane estaria embriagada por falta de provas.   

O acidente ocorreu por volta de 18h40 de 11 de agosto de 2019, no cruzamento da Avenida 15 de Novembro com a Avenida Tiradentes, no Centro do município. Lidiane dirigia uma Hilux SW4 que cruzou a Avenida 15 de Novembro, atingindo a moto que estava um casal e o menino morte de Daniel Augusto da Silva. 

A caminhonete, mesmo após a batida, prosseguiu até a Rua Rosa Bororo e virou fugindo pela contramão. Quando a polícia chegou encontrou a caminhonete na própria Avenida 15 de Novembro, local do acidente. 

O automóvel foi apreendido, mas a motorista não estava no local. O casal e a criança foram socorridos pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) ao Hospital Regional de Rondonópolis. 

A criança não resistiu e morreu por volta de 23h. O corpo foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML). Um boletim de ocorrência foi registrado por omissão de socorro e homicídio culposo foi registrado na Polícia Civil. 

A digital influencer. Foto: Reprodução/FolhaMax 

Desde o acidente, a digital influencer não se pronunciou publicamente sobre o fato. Ela prestou depoimento na Polícia Civil três dias após o ocorrido. Na ocasião, seus advogados disseram apenas que ela e o marido ofereceram assistência à família do menino.

Fonte: Folha Max.