08 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Cocaína

Donos de entreposto da cocaína moravam em Campo Grande

Volume do entorpecente chega a quase 1 tonelada

Dos seis integrantes da quadrilha flagrada com 956 quilos de cocaína, em um depósito na BR-158, em Três Lagoas, cinco moravam em Campo Grande, e só um deles, na cidade onde foram presos. O local, alvo de operação da Polícia Federal no último domingo, funcionava como um entreposto de distribuição da droga para o Estado de São Paulo e, possivelmente, para fora do Brasil. 

Antes de chegar a Três Lagoas, toda a cocaína da quadrilha passava pela Capital de Mato Grosso do Sul. “Ainda não temos a localização de onde a droga vinha antes de chegar a Campo Grande”, explicou o delegado Caio Martins, da PF de Três Lagoas. 

Quando os policiais entraram no local, um dos caminhões estava prestes a partir rumo ao estado vizinho. “Já estava carregado, do lado de fora do depósito”, contou o delegado. 

O volume de cocaína apreendido somou 954 quilos. Foi a maior apreensão do ano no Estado, e uma das maiores desta década em Mato Grosso do Sul. “Nossa equipe de investigação começou a receber informações na sexta-feira (15). Fizemos algumas diligências e outros levantamentos, até que chegamos ao local em que eles guardavam as drogas, no domingo”, disse o delegado da PF. 

A identidade dos presos não foi revelada, mas trata-se de dois motoristas autônomos, um comerciante e três auxiliares de serviços gerais. Foram retidos três caminhonetes e um carro de passeio. Eles foram levados para o Presídio de Três Lagoas. 

APREENSÃO

Em 22 de janeiro último, a Polícia Rodoviária Federal também apreendeu grande quantidade de cocaína. Uma carreta, escoltada por um SUV da BMW, levava 940 quilos de cocaína, e foi flagrado na BR-463, entre as cidades de Ponta Porã e Dourados. A suspeita é que a droga seria levada ao Estado de Santa Catarina. O carregamento seria da organizaçaõ criminosa Primeiro Comando da Capital.  

ENTREPOSTO

Na maior apreensão de cocaína da história de Mato Grosso do Sul, assim como em Três Lagoas, a droga também estava escondida em um galpão, que era usado como depósito. Em 25 de fevereiro de 2015, foram encontrados 1.441 quilos da droga, na cidade de Corumbá. O local era usado como entreposto, de onde a droga - oriunda da Bolívia - era despachada em carretas de minério de ferro para o Porto de Santos (SP).