10 de abril de 2021
Campo Grande 35º 20º

Educação

Especialista em linguagem infantil dá dicas sobre cuidados com seu filho


A vida é sempre muito corrida. Especialmente para os pais que, além do trabalho e do trânsito, gastam muitas horas por dia em constantes idas e vindas para levar e buscar os filhos na escola, na natação, no futebol, na aula de inglês, e tantos outros que apenas cuidam pra que seus filhos não fiquem o dia todo na rua. Somando-se a isso o tempo gasto ao celular, não sobra muito para a convivência em família. Contudo, é preciso que os pais entendam a importância de administrar melhor o tempo e dar mais atenção aos filhos.
 
Para o professor e coordenador pedagógico do blog “Como educar seus filhos” Carlos Nadalim, pais que se preocupam em dedicar tempo às crianças, sobretudo conversando com elas, além de fornecerem as bases para que cresçam emocionalmente mais sadias, também contribuem de maneira significativa para o desenvolvimento da linguagem.
 
Mas não basta expô-los aos sons verbais para desenvolverem a linguagem. É fundamental direcionar a fala a eles. “É o que os psicólogos chamam de fala direcionada às crianças”.
 
"Esta é uma dica de ouro: seu filho precisa que você dedique um tempo para falar exclusivamente com ele! A fala direcionada à criança é fundamental para o desenvolvimento da linguagem",  reforça Nadalim.
 
Para ser eficaz nesse processo, é preciso saber como fazê-lo. O professor Carlos indica o uso de frases simples e curtas durante a conversação e lembra ainda a importância de acrescentar novas palavras a cada dia. “Dessa forma, aumentarão aos poucos o vocabulário” explica.
 
Outra dica fundamental é manter o contato visual. O professor ressalta que os pais olhem os filhos nos olhos durante a conversa, se possível mantendo-se à altura deles. “Assim, poderão estabelecer um diálogo mais próximo, harmonioso e sereno. Isso ainda ajudará as crianças a não se distraírem”, destaca Carlos.
 
O especialista alerta ainda que, quando os mais velhos conversam somente entre si ou falam ao telefone por muito tempo, isso pode deixar crianças de 1 a 3 anos bastante irritadas. “Caso isso ocorra, não tome como sinal de indisciplina”, adverte.
 
Nadalim conta que, em certa ocasião, quando conversava com um amigo, seu filho de três anos o interrompeu, dizendo: “Para de falar!”. Num primeiro momento, todos pensaram que se tratasse de indisciplina e falta de educação. Mas o professor disse a seu amigo que aquilo nada mais era que a expressão infantil de uma incompreensão. “É preciso entender que as crianças podem não estar compreendendo o que ouvem, o que as deixa inquietas e irritadas”, informa.
 
"Por isso largue o celular de lado por um tempo e vá conversar com seu filho. Além de aproximá-los, isso contribuirá para o desenvolvimento dele", conclui.