22 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Evento

Evento sobre sistemas agroalimentares reúne pesquisadores do Brasil e de cinco países

Durante três dias agricultores familiares de Mato Grosso do Sul terão a oportunidade de conhecer experiências desenvolvidas em outros países em termos de sistemas agroalimentares. É que pesquisadores dos outros estados, além de Uruguai, Chile e Colômbia estarão participando do Agroecol, que começou domingo (11.11) e prossegue até quarta-feira (14.11).

O tema principal  do evento é “Sistemas agroalimentares, sociobiodiversidade, saúde e educação: Desafios e perspectivas”. A mesa de honra  contou com a presença da diretora-executiva da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Gisele Farias, e do superintendente da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Rogério Beretta.

Representando o governador Reinaldo Azambuja, o superintendente Rogério Beretta, colocou a pasta à disposição para que os agricultores familiares possam buscar maior apoio do Executivo para fomentar as práticas agroecológicas. “Na Capital, há 15 produtores que fazem cultivo com base agroecológica e que bom seria se mais agricultores fizessem uso da prática. Então, deixamos a Semagro de portas abertas, que vocês se organizem e demandem para falar com o Governo e, juntos, pensarmos sobre políticas públicas para o setor”.

Para a diretora-executiva da Agraer, Gisele Farias, o momento é oportuno para a troca de conhecimento entre agricultores e pesquisadores de diferentes estados e, também, países. “Durante os próximos três dias haverá mesas redondas com a participação de estudiosos de países como Uruguai, Chile e Colômbia. Esses espaços são justamente para facilitar a conexão entre pequenos produtores e pesquisadores e mesmo entre os próprios pesquisadores”.

O reitor da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Marcelo Turine, aproveitou a oportunidade para fazer um convite à equipe do Agroecol. “É uma equipe muito competente que vem se movimentando desde cedo, mês de janeiro, para realizar este evento. Queremos que haja uma feira de agroecologia no SBPC [Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência], entre os dias 21 a 27 de julho de 2019, encontro que será promovido na Capital. Fazemos o convite ao professor Alejandro para que forme um grupo de agricultores e apresente seus trabalhos na feirinha”, disse o reitor.

O Agroecol é um conjunto de cinco seminários similares em seu campo de diálogo: a agroecologia. São eles: o 3º Seminário de Agroecologia da América do Sul; o 5º Seminário Estadual de Educação do Campo; o 7º Seminário de Agroecologia do MS; o 6º Encontro de Produtores Agroecológicos do MS e, por fim, o 3º Seminário de Sistemas Agroflorestais em Bases Agroecológicas.

Dentro do evento há uma Feira Agroecológica para exposição e venda dos produtos e serviços da agricultura familiar (artesanatos, doces em compotas, alimentos in natura, etc). Uma forma de aproximar o público que está prestigiando o Agroecol aos pequenos produtores e pesquisadores, pessoas que fazem da agricultura familiar uma realidade em Mato Grosso do Sul.

Realizado há 16 anos, o Agroecol é a soma de esforços de várias entidades que direta ou indiretamente atuam na agricultura familiar sul-mato-grossense. “O encontro acontece desde 2002 e está na sua terceira edição internacional”, enfatizou com entusiasmo o professor da UFMS, Luiz Alejandro Gutierrez, que coordena a organização.

Na programação são esperados representantes de universidades do Paraguai e Bolívia, além de palestras ministradas por profissionais do Brasil e exterior – Uruguai, Chile e Colômbia, apresentações de trabalhos técnico-científicos, discussões em grupos, minicursos e oficinas, além do intercâmbio de experiências individuais e coletivas.

“Os debates serão em torno de questões do dia a dia como à saúde pública, educação, comercialização e uso dos produtos da biodiversidade local, sistemas de produção agroflorestal e alternativos, produção e comercialização de produtos da economia solidária que possam contribuir com o desenvolvimento da sociedade”, pontuou Alejandro.

O evento é promovido pela Sociedade Científica Latino Americana de Agroecologia, Associação Brasileira de Agroecologia e demais instituições agroecológicas. A organização do evento conta com a UFMS, a Fundação Oswaldo Cruz do MS, a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD), a Embrapa Pantanal, Sebrae, e o Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Semagro e da Agraer.