13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

Jail Azambuja

Ex-juiz federal acusado de tentativa de homicídio é condenado a 5 anos

Júri popular foi realizado na sexta (6), em Umuarama. Jail Azambuja foi acusado de encomendar morte de outro juiz. Cabe recurso.

A- A+

Ex-juiz federal Jail Azambuja foi condenado a cinco anos de reclusão, em regime inicial semiaberto, por tentativa de homicídio duplamente qualificado contra o também juíz e, hoje, desembargador Luiz Carlos Canalli.

O julgamento pelo Tribunal do Júri foi realizado nesta sexta-feira (6), em Umuarama, no noroeste do Paraná.

A sentença determinou que Azambuja pode recorrer da condenação em liberdade. Depois do julgamento, Azambuja foi solto. Ele também perde o cargo e aposentadoria.

De acordo com o advogado de defesa, Alessando Dorigon, na segunda (9), ele e Azambuja vão decidir se recorrem ou não da decisão do júri. Se houver apelação, quem deve julgar o processo é o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) , em Porto Alegre (RS).

A audiência começou às 8h45 e terminou por volta das 21h. O júri foi composto por sete pessoas, quatro homens e três mulheres.

Azambuja foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de encomendar a morte de Luiz Carlos Canalli, que na época atuava como juiz federal na cidade. Atualmente, Canalli é desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4). A tentativa de homicídio ocorreu em 2008.

O ex-juiz federal estava detido na sede da Polícia Federal (PF) em Curitiba, mas foi levado para Umuarama para participar da audiência. Jail Azambuja era defendido pela Defensoria Pública da União, mas apresentou um advogado contratado nesta sexta-feira.

Em 13 de março, o MPF pediu a prisão preventiva de Azambuja. Ele foi detido em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul.

Entenda o caso

O crime ocorreu na madrugada do dia 19 de setembro de 2008, quando o segurança, já condenado, Adriano Roberto Vieira, de 37 anos, efetuou 13 tiros com uma pistola contra a casa de Luiz Carlos Canalli, em Umuarama.

Conforme o MPF, à época, o segurança prestava serviços a Jail Azambuja, que foi acusado de ter encomendado o crime.De acordo com as investigações, Vieira usou o carro de Azambuja para ir até a casa de Canalli. Alguns dos disparos atingiram o interior dos cômodos onde Canalli e seus familiares dormiam. Ninguém ficou ferido.

Na denúncia, o MPF detalhou que a tentativa de homicídio ocorreu para Azambuja sair de impune de crimes que foi acusado de cometer em fevereiro e março de 2008.

O MPF informo que o ex-juiz federal era acusado de cometer os crimes de abuso de autoridade, prevaricação, usurpação de função pública, falsidade ideológica e denúncia caluniosa.