08 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

Cultura

Festa é defendida por movimentar economia e resgatar cultura

Prefeito tinha sinalizado a possibilidade de cancelar o evento

Durante sessão solene em que mulheres foram homenageadas na Assembleia Legislativa, na manhã desta sexta-feira (8) a festa pós Carnaval, chamada de “Enterro dos Ossos”, foi defendida por alguns por movimentar a economia e por fazer parte do processo de resgate cultural do brasileiro.

Uma das apoiadoras é a ex-deputada e atual diretora-presidente da Fundação de Cultura do Estado, Mara Caseiro (PSDB). “O problema não está na festa e sim na falta de educação das pessoas”, lembrou ela.

A ex-parlamentar defendeu ainda que a festa é cultural e que não pode ser perdida devido ao comportamento de alguns. “É uma festa popular, onde nossas raízes são fortalecidas, é uma tradição, entretenimento saudável e se tem pessoas que não respeitam, isso é um problema, mas não é acabando com o Carnaval que vamos resolver esse problema”, defendeu ela.

A presidente da Fundação de Cultura argumentou que a Prefeitura Municipal de Campo Grande e o Governo do Estado fizeram um bom trabalho. “O poder público fez a parte dele, o único problema que tivemos foi na Esplanada Ferroviária, na Praça do Papa foi maravilhoso, não tivemos nenhuma ocorrência”, reforçou Caseiro.

Outro que defendeu a permanência da festa foi o deputado estadual Pedro Kemp (PT). “Tivemos 172 mil pessoas, recorde de público e a festa movimentou mais de R$ 40 milhões, então sábado agora temos que manter”, defendeu o petista.

Na manhã desta sexta-feira (8) o prefeito Marcos Trad (PSD) confirmou que vai haver a festa de Carnaval no sábado (9). O chefe do Executivo tinha sinalizado a suspensão do evento após registros de casos em que aconteceram depredação e vandalismo na Esplanada Ferroviária.