05 de dezembro de 2021
Campo Grande 33º 23º

ANDERSON DO CARMO

Filho biológico de ex-deputada é condenado a 33 anos por matar pastor

Flordelis está presa acusada de ser a mandante

A- A+

Flávio dos Santos Rodrigues, filho biológico da ex-deputada Flordelis dos Santos de Souza, e Lucas Cézar dos Santos de Souza, filho adotivo da ex-deputada, foram condenados nesta quarta (24.nov.21) pelo assassinato do pastor Anderson do Carmo de Souza, marido da ex-parlamentar, morto a tiros em junho de 2019 em sua casa no Rio de Janeiro (RJ). 

Flordelis está presa desde o dia 13 de agosto acusada de ser mandante do homicídio. Ela foi presa um dia após a perda do mandato parlamentar na Câmara dos Deputados e ter sido expulsa do PSD. Está no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste do Rio.

JULGAMENTO

A sessão começou na tarde desta terça-feira (23.nov.21), e a sentença foi proferida por volta das 5h15 desta quarta (24.nov).

Flávio foi condenado por disparar os tiros que mataram Anderson: cumprirá 33 anos e dois meses de prisão por homicídio triplamente qualificado, porte ilegal de arma, uso de documento ilegal e associação criminosa armada. Quando foi interrogado, Flávio preferiu permanecer em silêncio, dispensando a chance de falar à juíza e aos jurados.

Lucas foi condenado por ajudar a comprar a arma do crime: cumprirá sete anos e meio por homicídio triplamente qualificado. A pena foi reduzida por ele ter colaborado com as investigações. Em seu depoimento nesta madrugada, que durou 35 minutos, Lucas alegou que não sabia que a arma que ele ajudou a comprar seria para matar o pastor Anderson. E que, quando foi sondado por parentes para cometer o assassinato, se negou todas as vezes em executar o crime.

O julgamento, presidido pela juíza Nearis dos Santos de Carvalho Arce, titular da 3ª Vara Criminal de Niterói. Ao todo a sessão durou mais de 15 horas.  

OUTROS ACUSADOS

E ex-deputada Flordelis e outros oito acusados do crime ainda não foram julgados. Flordelis responde por homicídio triplamente qualificado, tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.