23 de outubro de 2021
Campo Grande 30º 20º

ONU

Fundo de População da ONU amplia debate sobre migração e demografia no Brasil

A- A+

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil chega ao final de 2018 com um saldo positivo para a sua parceria com o Observatório das Migrações em São Paulo.

Ao longo do ano, instituições lançaram publicações e promoveram seminários sobre demografia no Brasil, migrações entre países em desenvolvimento e os fluxos recentes de venezuelanos deixando sua nação de origem.

Iniciativas mobilizaram gestores e acadêmicos do país e de outras nações da América Latina.

A Observatório é vinculado ao Núcleo de Estudo de População Elza Berquó, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

A instituição realizou com o UNFPA o Programa de Capacitação em População, Cidades e Políticas Sociais.

O projeto dá ênfase ao atual processo de transição demográfica no Brasil e países vizinhos, onde é necessária a produção de indicadores para a gestão pública.

A iniciativa de formação qualifica as secretarias municipais, estaduais e de governo para abordar as relações entre população e desenvolvimento social.

Neste ano, foram formadas quatro turmas em São Paulo, Paraná e Rondônia. Desde 2010, mais de 600 servidores participaram do curso.

Em 2018, a parceria do UNFPA e do Observatório também resultou em três coletâneas de artigos sobre fluxos migratórios: Migrações Sul-Sul , Migrações Fronteiriças e Migrações Venezuelanas.

Desenvolvidos por pesquisadores do Núcleo de Estudos de População Elza Berquó e instituições parceiras, os livros têm artigos de diversos autores, que refletem sobre as migrações no Brasil e na América Latina no período recente.

A agência da ONU e o centro de estudos da UNICAMP também produziram um Atlas das Migrações Internacionais.

Segundo a pesquisadora do núcleo, Rosana Baeninger, o diálogo com o UNFPA permite que as discussões sobre demografia alcancem um público diverso.

"É importante ressaltar que a parceria com um organismo internacional aumenta o alcance e o potencial de advocacy da comunidade acadêmica, o diálogo com o poder público e o fortalecimento na criação de políticas sociais", aponta.

Outra atividade realizada em 2018 foi uma roda de discussão, com a presença de pessoas migrantes e refugiadas, durante o XXI Encontro de Estudos Populacionais. O evento aconteceu entre os dias 22 e 28 de setembro, em Poços de Caldas (MG).

Com o tema "População, Sociedade e Políticas: desafios presentes e futuros", a inciativa permitiu a troca de experiências entre sociedade civil e academia, discutindo a integração das pessoas migrantes no Brasil.