30 de novembro de 2021
Campo Grande 31º 22º

Violência

Garoto presenciou violência contra os pais e fugiu antes da morte da mãe

A- A+

Foram apresentados hoje (10) pelo SIG (Serviço de Investigação Geral) os indígenas Gelso e Giovani que confessaram ter matado à facadas o casal Osvaldo Ferreira, 38 anos, e Rosilene Rosa, 34 anos, eles também confirmaram que estupraram a mulher. O filho do casal, um garoto de 9 anos, presenciou parte da violência e conseguiu fugir da casa e se esconder em uma árvore. Interrogados se iriam matar a criança acaso ela não tivesse corrido, Gelso e Giovani relataram, com extrema frieza, que "iam ver o que fazer com ela".

De acordo com o delegado Rodolfo Daltro o crime foi premeditado, o motivo seria 'queima de arquivo', pois Osvaldo presenciou Gelso cometer um homícidio ocorrido há poucos dias. A Polícia fez a ligação dos crimes após chegar na residência do casal assassinado e perceber que a casa ficava perto de uma lagoa, onde foi encontrado o corpo de Felismar Benites, morto com pauladas na cabeça.

O SIG também apurou que na noite em que foram mortos Osvaldo e Rosilene consumiam bebidas alcoólicas na companhia de Gelso e Giovani. Apesar de os policiais terem realizado diligências durante todo o dia visando prender a dupla, eles esconderam-se numa região de mata. Foi então solicitado apoio as lideranças indígenas a fim de capturar os suspeitos.

Na manhã de sábado (8) os assassinos foram detidos por índigenas que acionaram a Polícia. Na delegacia a dupla confessou o crime. Eles foram autuados em flagrante pela prática de homicídio qualificado e estupro, sendo representado pela decretação da prisão preventiva de ambos. Gelso também foi indiciado pela prática do homicídio qualificado contra Felismar.