20 de abril de 2021
Campo Grande 32º 19º

Fórum Central

Governo apresenta avanços da Caravana da Saúde em MS

Os avanços na saúde através do programa Caravana da Saúde é um dos temas a serem apresentados pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (19) às 10h, na 4ª Reunião do Fórum de Governadores do Brasil Central, realizado no Hotel Wetiga, em Bonito. A palestra será feita pelo secretário de estado de saúde Nelson Tavares, que apresentará o cronograma de ações realizado pela Caravana da Saúde desde o início de seus atendimentos em março de 2015, passando pelas 11 macrorregiões do Estado.

A regionalização e o compromisso direcionado à reestruturação dos serviços de saúde serão os principais tópicos da apresentação, mostrando o impacto alcançado em cada região pela qual a Caravana da Saúde passou.

Projeto inovador na saúde – A Caravana da Saúde é um dos principais projetos implementados pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul em 2015 levando atendimentos em oftalmologia, consultas, exames e cirurgias de média complexidade com o objetivo de reduzir a fila de espera para atendimentos médicos. Atualmente a Caravana já soma mais de 45 mil cirurgias, 850 mil procedimentos e mais de 240 mil pessoas atendidas.

Além dos atendimentos em saúde, a Caravana contou com a participação de instituições parceiras que acompanharam as equipes do Governo do Estado em cada edição, sendo elas: Associação Brasileira de Odontologia em MS (ABO-MS), Hospital do Câncer Alfredo Abrão, Hemosul, Hospital do Câncer de Barretos, Grupo Onça Pintada, Marinha do Brasil, Universidade Estadual de MS (UEMS), Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Sesc, Senac, Tribunal de Justiça de MS, Instituto de Identificação, Famasul, Exército e Ministério Público de MS, entre outras.

Brasil Central – O Fórum de Governadores Brasil Central propõe ações para o desenvolvimento econômico e social das unidades federativas do Centro-Oeste, Tocantins e de Rondônia. A proposta é que sejam executadas iniciativas sem a dependência exclusiva de repasses da União, modificando a lógica regional de atuação. O consórcio possui carteira de projetos nas áreas de agropecuária, empreendedorismo, infraestrutura e logística, educação, inovação (ciência e tecnologia), meio ambiente e turismo.