27 de janeiro de 2022
Campo Grande 30º 22º

NACIONAL | SÃO PAULO (SP)

Homem é algemado e 'arrastado' por moto da PM; vídeo

"Isso é uma atrocidade. Vamos tomar as devidas providências", disse o ouvidor das Polícias

A- A+

Um jovem negro foi algemado e "arrastado" por uma moto da Polícia Militar de São Paulo. O vídeo circula nas redes sociais. O caso foi filmado por volta das 15h do dia (30.nov.21) na Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, na região da Vila Prudente, Zona Leste de São Paulo. A situação gerou revolta e o PM que conduzia a motocicleta deve responder por ao menos 2 crimes contra a humanidade.  

"O PM deve responder por crimes de tortura e abuso de autoridade", falou nesta quarta-feira (1º.dez.21) o advogado Ariel de Castro Alves, membro do Grupo Tortura Nunca Mais. "E dependendo do depoimento da vítima e de testemunhas, por racismo também", concluiu. A entrevista é do g1. 

Por meio de nota, a Polícia Militar (PM) informou que abriu um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o caso e que "repudia tal ato" (veja a íntegra da nota ao final da reportagem).

Segundo Ariel, os crimes de tortura, racismo e abuso de autoridade contra o policial militar poderiam ser investigados pela Polícia Civil em paralelo à apuração da Corregedoria da PM.

"Nesse caso pode ter inquéritos na Polícia Civil e IPM na Corregedoria", disse o membro do Grupo Tortura Nunca Mais.

Nas imagens é possível o homem de calça preta e camiseta de manga comprida, correndo atrás de uma moto conduzida por um policial militar em São Paulo. Ele está algemado e as algemas estão presas ao baú da motocicleta. O homem corre para conseguir acompanhar a moto do PM, que avança por meio da faixa de ciclistas de uma avenida. Veja o vídeo: 

Em um determinado momento do vídeo, é possível escutar um outro homem não identificado dizendo: "Olha aí, ele algemou e está andando igual um escravo".

O ouvidor das Polícias do estado, Elizeu Soares Lopes, afirmou que irá pedir para a PM apurar a conduta do agente. "Isso é uma atrocidade. Vamos tomar as devidas providências. Abriremos um procedimento", falou o ouvidor sobre um documento que será encaminhado para a Corregedoria da PM pedindo celeridade na apuração do caso.

"As imagens são estarrecedoras, um completo desapreço a dignidade humana, nenhum ser um humano em pleno século XXI, pode ser ultrajado dessa forma. A conduta do agente policial não coaduna com os protocolos da PM, que deve repelir tal atitude", afirmou Elizeu.

Até a última atualização desta reportagem a Secretaria da Segurança Pública (SSP) não havia informado a identidade do policial militar e do homem algemado puxado por ele na moto. Segundo policiais ouvidos pelo g1, o homem teria sido detido por suspeita de algum crime, sendo levado depois a uma delegacia, onde teria sido liberado.

Guilherme Boulos, que foi candidato a prefeito de São Paulo pelo PSOL, compatilhou o seu vídeo em sua conta no Instagram e criticou a ação da PM: "Brasil, mais de 300 anos de escravidão... Tortura a sangue frio praticada por um PM de SP. INACEITÁVEL!".

O QUE DIZ A PM

Por meio de nota, a Polícia Militar informou que a corporação apura o caso. Segundo fontes do g1, o policial militar que puxa o homem negro algemado a moto foi identificado e afastado do trabalho nas ruas enquanto durar as apurações contra ele. O IPM servirá para avaliar a conduta do agente. Se for punido, ele poderá ser advertido, suspenso e até expulso.

"A Polícia Militar, imediatamente após tomar ciência das imagens, determinou a instauração de um inquérito policial militar para apuração da conduta do referido policial e o seu afastamento do serviço operacional. A Polícia Militar repudia tal ato e reafirma o seu compromisso de proteger as pessoas, combater o crime e respeitar as leis, sendo implacável contra pontuais desvios de conduta", informa o comunicado da corporação.