27 de fevereiro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Assembleia

Integrantes da Sejusp apresentam programa “Escola Segura, Família Forte” na Assembleia

Foi realizada nesta terça-feira (23.4), na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, uma reunião proposta pela Comissão Permanente de Segurança Pública e Defesa Social da Assembleia, para debater a elaboração de um Plano Estratégico de Segurança nas Escolas.

Na ocasião o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública (sejusp), Antonio Carlos Videira, acompanhado do comandante-geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul (PMMS), coronel Waldir Ribeiro Acosta, da delegada Sidneia Catarina Tobias, que representou o delegado-geral da Polícia Civil do Estado (PCMS), Marcelo Vargas Lopes e do coordenador do programa Valson Campos, apresentaram o projeto “Escola Segura, Família Forte” bem como de que forma esse plano de prevenção e de enfrentamento à violência no ambiente escolar, que está sendo criado pela Casa de Leis, pode contribuir com a ampliação desta política de Governo iniciada em outubro de 2017.

Segundo o secretário Antonio Carlos Videira, o programa Escola Segura, Família Forte, foi desenvolvido pelo Governo de Mato Grosso do Sul, por meio da Sejusp, e tem realizado rondas ostensivas e preventivas em 60 escolas da Capital (31 estaduais e 29 municipais), com objetivo de garantir segurança para estudantes, professores e pais nos locais de ensino e aos arredores. Ao todo são 20 policiais militares e cinco viaturas, que atendem exclusivamente essas unidades de ensino.

“Mato Grosso do Sul sai na frente em relação a segurança nas escolas, promovendo sobretudo integração das forças como um todo. Tenho certeza que a Assembleia pode contribuir muito com a ampliação do programa, destinando emendas parlamentares e apoiando as ações de segurança”.

O coordenador do projeto Valson Campos, explicou que com a ronda escolar e o contato direto dos diretores com a polícia, o ambiente escolar se tornou mais seguro para os alunos, familiares e todo entorno da escola: “Hoje com o programa funcionando, podemos analisar algumas situações que aconteciam por falta de policiamento especializado, e agora com o policiamento específico, com as viaturas caracterizadas e com a interlocução de todas as policias, os resultados são excelentes”, pontuou.

Entre os dados mostrados pelo comandante do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), coronel Wilson Monari, que está à frente das ações operacionais do programa, somente no ano de 2018 foram feitas 1.276 abordagens a pessoas no ambiente escolar e fora dele, 89 palestras e 4.403 visitas à direção de escolas. Apenas em março deste ano, cem alunos suspeitos foram abordados no espaço escolar, foram encontradas duas armas brancas, verificadas quatro situações de porte de drogas para uso pessoal e três ocorrências de tráfico. Também foram feitas, no mês passado, 300 visitas a diretores, entre outras ações.

O Escola Segura, Família Forte já conquistou prêmio internacional por sua metodologia de trabalho. Ele foi selecionado entre os nove vitoriosos dentre mais de 90 projetos de toda a América Latina pela I Convocatória Internacional de Avaliação de Impacto – processo de seleção da Corporação Andina de Fomento (CAF), Banco de Desenvolvimento da América Latina semelhante ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), para receber uma consultoria gratuita por três anos. No fim de 2019 deve ser apresentada a avaliação do programa, que permitirá a extensão e ampliação das escolas atendidas.