28 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 20º

Suspeita

Lagoa é interditada após suspeita de ataque de piranha a criança e adolescente

Dono do estabelecimento onde fica a lagoa disse que acionou a prefeitura para que um equipe especializada analise o caso

Uma lagoa de Marilândia, no Noroeste do Espírito Santo, está interditada há uma semana após a suspeita de que uma criança e uma adolescente foram atacadas por piranhas no local. A mãe da criança procurou a polícia para relatar o caso. O dono do estabelecimento onde fica a lagoa do Batista disse que acionou a prefeitura para que um equipe especializada analise o caso.

De acordo com a mãe da criança, não havia no local nenhum aviso sobre a presença desses peixes, nem salva-vidas. Ela procurou a delegacia e fez um exame de corpo de delito.

“Enquanto eu estava passando protetor na minha filha menor, eu vi ele gritando. Saiu correndo da lagoa, gritando, com o pé pra cima, sangrando muito. Foi quando a gente viu que estava faltando uma parte do dedo dele. Se tivesse [placa ou aviso], a gente não teria deixado nossas crianças a mercê de piranhas”, disse Rayane Pimentel.

Por medidas de segurança, o trecho da lagoa foi interditado no mesmo dia. Os próprios donos da área colocaram fitas nas margens da lagoa para impedir que banhistas entrem na água. Na manhã deste sábado (24), o local estava completamente vazio.

O dono do estabelecimento disse que lamenta o ocorrido e que está tomando as medidas necessárias. Ele acrescentou que havia um salva vidas no local no dia do ocorrido e que o profissional pediu para que as pessoas saíssem da água.

Os proprietários também disseram que havia placas informando sobre a possível presença dos peixes e que os avisos foram reforçados nesta semana.