06 de maro de 2021
Campo Grande 28º 19º

UFC

Livinha Souza se emociona ao citar sonho de lutar em card principal do UFC com José Aldo

Em sua segunda incursão no Ultimate, Livinha Souza contabilizou mais uma vitória na carreira, chegando a um cartel com 13 triunfos e apenas uma derrota. No UFC Fortaleza, ela venceu Sarah Frota por decisão dividida, mas o duelo lhe trouxe muito mais. Visivelmente emocionada, com os olhos cheios de lágrimas, ela disse ter realizado um sonho do pai por estar num card ao lado do ex-campeão peso-pena José Aldo. Tudo começou quando ela analisou as provocações antes da luta trocadas com a então adversária.

  • Não tenho nada contra a Sarah. Quem me conhece sabe que a provocação acaba ali, quando o juiz acaba a luta somos todos amigos, todos nós temos família, estamos buscando nossos sonhos. Vocês sabem que a maioria dos atletas de MMA são de classe baixa, somos sofridos, e com certeza não ia deixar cair uma luta do card principal, principalmente com o meu maior ídolo de todos os esportes, o José Aldo. É uma realização. Fico até emocionada porque era o sonho do meu pai eu estar num card com o Aldo, e hoje consegui. Saí de lá do interiorzinho e realizei o sonho do meu pai e da minha família de estar num card principal do UFC, e principalmente com a vitória. Meu treinador e minha família sabem da dificuldade, do quanto sofri, e espero que meu pai de onde esteja consiga ver essa vitória porque dei tudo o que eu tinha, deixei tudo lá. Para uma menina no UFC me vencer vai ter que me matar, vai ter que me desligar e isso não é fácil. Tenho provado e vou provar muito mais ainda no UFC. Queria agradecer ao Mick (Maynard, matchmaker do UFC), Rodrigo (Minotauro, embaixador do UFC), e a todo pessoal do UFC pela chance de estar num evento histórico, conhecendo meu grande ídolo que é o José Aldo - disse a lutadora peso-palha (até 52kg).

Ex-campeã do Invicta FC, Livinha citou também o fato de estar no card com o cearense Thiago Pitbull, outro ídolo. A lutadora de 29 anos garantiu que lutaria até sem receber um centavo se fosse para participar de um card ao lado de lendas do MMA.

  • Primeiro preciso pensar em me corrigir, com essa performance não me coloco nem entre as top 10 ou top 15, pode ser que atinja por causa do ranking. Mas vou trabalhar bastante para merecer outra chance. O UFC me deu muita moral me colocando num card principal, e em Fortaleza, com pessoas apaixonadas por luta. Estar num card principal com o Thiago Pitbull, que foi um ídolo dos meus treinadores, da minha infância, um cara que já disputou cinturão com St-Pierre, e estar fazendo uma luta na frente desse cara é uma coisa que fica para o resto da vida. Tem coisa que o dinheiro não compra, e se eles pedissem para eu lutar de graça aqui com certeza lutaria, só de estar no meio dessas feras é uma coisa que vou levar para sempre.

Apesar de garantir que não usaria como desculpa o fato de Sarah Frota bater 3,2kg acima do limite dos palhas na véspera, e estar consideravelmente mais pesada na luta, Livinha disse que a diferença a atrapalhou no octógono.

  • No começo da luta, tentei impor a velocidade. Realmente senti bastante o peso e a potência dela, mas principalmente o peso no corpo a corpo, isso foi determinante. Antes da luta pesei 55kg, 55,5kg, e creio que ela devia estar com uns 65kg, 66kg, mas isso não é desculpa. Aceitei a luta com todos os riscos e tentei fazer o meu melhor. Não estou muito satisfeita, mas uma vitória é uma vitória. Vou voltar para a academia para corrigir os meus erros para ganhar da melhor forma (...). Até o meio da luta não senti tanto, mas depois fui sentindo principalmente na força, para escapar das finalizações. Tentei não ficar por baixo a todo o momento, porque senti bastante o peso do corpo dela - concluiu.