29 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

FRAUDE

Mais de 50% dos militares não devolveram os R$ 600 de auxílio emergencial

Defesa diz que benefício foi pago indevidamente para 53,4 mil

Dois terços (68%) dos mais de 73 mil militares das Forças Armadas que receberam, de forma irregular, o auxílio emergencial de R$ 600 não devolveram espontaneamente o benefício. O governo federal abriu, em 18 de maio deste ano, um site (acesse aqui) para as pessoas devolverem o auxílio de R$ 600 caso acreditem ter recebido o benefício de forma irregular.

Dados do Ministério da Cidadania apontam que 39,5 mil pessoas devolveram o benefício até o último dia 12 de abril. Desse total, 23,6 mil eram militares, segundo a pasta.

O número total de auxílios indevidos divulgado agora pelo ministério é menor que o informormado em em maio. Na época, a Defesa havia informado que 73.242 militares ativos, inativos, pensionistas e anistiados receberam o auxílio indevidamente.

Dessa maneira, dos pelo menos R$ 44 milhões gastos com a primeira parcela do benefício depositado nas contas dos militares, foram recuperados R$ 15,2 milhões.

Em maio, o Tribunal de Contas da União (TCU) determinou o cancelamento dos cadastros dos militares admitidos no programa e informou que deverá haver o ressarcimento.

Para receber o benefício, o trabalhador precisa ter renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50) e ter renda mensal até 3 salários mínimos (R$ 3.135) por família. O beneficiário também não pode ter recebido rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 em 2018.